O misterioso Kasian Goleizovsky

Descrição

Esta fotografia é de uma série sobre o coreógrafo Kasian Goleizovsky (de 1892 a 1970), do fotógrafo Leonid Zhdanov (de 1927 a 2010). Ela foi tirada durante a encenação do balé Laila e Majnun com música de Sergei Balasanyan. O retrato mostra Natalia Bessmertnova (de 1941 a 2008) e Goleizovsky na sala de ensaios do Teatro Bolshoi. Bessmertnova entrou para o Bolshoi em 1961, onde permaneceu como primeira bailarina por mais de três décadas. Goleizovsky foi inspirado pelas ideias inovadoras de dois importantes coreógrafos, Alexander Gorsky e Michel Fokine, e seus interesses foram além de seu trabalho no Bolshoi. Ele criou danças para apresentações em cabarés, casa de espetáculos, circos, teatros de drama (com Stanislavsky, Nemirovich-Danchenko, Meyerhold e Tairov), e cinema. Sua própria companhia de estúdio, Balé de Câmara, tornou-se um palco para o seu experimento criativo. Ele realizou um trabalho pioneiro na dança moderna e influenciou uma geração inteira de novos coreógrafos, incluindo Georgi Balanchivadze (futuro George Balanchine). Goleizovsky recusou uma oferta de Sergei Diaghilev para organizar Le pas d'acier, de Sergei Prokofiev, para o Ballets Russes de Monte Carlo, dizendo que a música “não é adequada para dança”, mas mesmo assim criou balés para jazz. Seu trabalho caiu em desuso por cerca de 30 anos. Banido dos teatros estatais por ser considerado esteta decadente e alheio à ideologia da arte soviética, Goleizovsky não conseguiu trabalhar como coreógrafo do início da década de 1930 ao fim da década de 1950. Seu único avanço nesse período ocorreu em 1934, quando organizou no Bolshoi as “Danças de Polovtsian” na ópera Príncipe Igor, de Borodin. Inúmeras fotografias de Goleizovsky tiradas por Zhdanov o mostram criando danças e fornecem informações sobre seus métodos de trabalho com os dançarinos. Zhdanov, um dançarino Bolshoi e depois professor de coreografia por 50 anos, também foi fotógrafo profissional de balé na maior parte de sua carreira. Suas fotos são espontâneas e registram os movimentos, os humores e as emoções dos dançarinos em sua naturalidade. A Instituição Renascimento da Arte em Moscou mantém esta imagem e o restante do arquivo de Zhdanov.

Última Atualização: 4 de janeiro de 2016