O diário oculto

Descrição

Ockulta dagboken (O diário oculto) é um diário mantido esporadicamente durante 12 anos pelo autor e dramaturgo sueco August Strindberg (de 1849 a 1912). É composto por mais de 300 fólios, desde a primeira anotação em Paris, em 1896, até o último registro em Estocolmo, em 1908. Quando Strindberg começou o diário, sua intenção era registrar personagens e incidentes que, embora aparentemente triviais, pareciam-lhe significativos, além de estranhas coincidências, sonhos, experiências de clarividência, citações bíblicas e extratos de outros livros, geralmente sem nenhum comentário. Aos poucos ele começou a incluir itens mais parecidos com os de um diário de documentários: contatos sociais e profissionais, comentários sobre as ocorrências do dia a dia, referências a livros que havia lido, e assim por diante. Strindberg colava nas páginas do diário recortes de jornais que lhe chamavam atenção e que por vezes falavam de ocorrências e experiências sobrenaturais e eventos públicos de seu interesse. O diário é uma importante fonte para qualquer estudo da composição das obras de Strindberg durante os anos que o manteve em suas mãos, incluindo o romance autobiográfico escrito em francês intitulado Inferno (de 1896 a 1897), a trilogia dramática Till Damaskus (Para Damasco, de 1898 a 1904), e a peça Spöksonaten (A sonata fantasma, de 1907).

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Ockulta dagboken

Tipo de Item

Descrição Física

283 folhas: papel; 33,5 x 20 centímetros

Observações

  • Código: SgNM:D72-73

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 12 de novembro de 2014