Tratado sobre gatos

Descrição

Este manuscrito, que contém sofisticadas pinturas de gatos, está no formato de um samut khoi (livro dobrável tailandês), com 12 fólios, sendo abertos no sentido do topo para a parte inferior. Ele foi produzido no século XIX, na região central da Tailândia. Livros dobráveis eram normalmente feitos de casca de amoreira; minerais, líquidos de origem vegetal e, ocasionalmente, materiais importados da China e da Europa eram usados como tinta. Às vezes, o papel era enegrecido com fumo ou laca, a fim de que se tornasse mais forte e mais resistente a danos causados por insetos ou umidade. Estes livros eram usados principalmente na produção de manuscritos não-religiosos na região central da Tailândia. As legendas bastante curtas descrevem as características dos diferentes tipos de gatos conhecidos no Sião (atual Tailândia). Para cada tipo de gato, há também uma nota que explica os efeitos que manter tal gato pode ter sobre seu dono. Infelizmente, como é muitas vezes o caso em manuscritos tailandeses, o nome do autor, do ilustrador e a data não são fornecidos. No Sião do século XIX, havia uma tradição de produção de tratados sobre animais que desempenhavam um papel importante na corte real e nos monastérios. Dentre eles estavam, em primeiro lugar, os elefantes, particularmente os albinos, mas também os cavalos e gatos. A criação dos famosos gatos siameses estava originalmente reservada à família real. Acreditava-se que alguns gatos eram “guardiães” de templos budistas, o que fazia com que estes gatos fossem cuidadosamente vigiados e muito reverenciados. Havia uma forte crença de que certos tipos de gatos traziam boa sorte, prosperidade ou saúde ao proprietário, enquanto outros eram vistos como portadores de má-sorte e, portanto, evitados. Por exemplo, um gato branco com nove manchas pretas, olhos verdes auspiciosos e uma voz forte e bela era visto como um gato da sorte. Dizia-se que, não importando quão pobre fosse o dono deste gato, ele ou ela se tornaria uma pessoa respeitada e obteria um status social elevado. O manuscrito foi levado à Biblioteca Britânica em fevereiro de 2011, pela esposa de um colecionador de manuscritos antigos do Reino Unido. O manuscrito pôde ser facilmente identificado como um tratado sobre os gatos, similar a outro manuscrito já existente nas coleções tailandesas da biblioteca (Or 16008). A diferença significativa entre os dois manuscritos é que as ilustrações neste item são aquarelas sobre papel de cor creme, enquanto as do outro contêm desenhos em giz branco sobre papel enegrecido.

Data de Criação

Data do Assunto

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

Livro de papel dobrável com 12 fólios; 361 x 119 milímetros

Observações

  • Número de referência do manuscrito na Biblioteca Britânica: Or 16797

Referências

  1. Jana Igunma, “A treatise on Siamese cats," Southeast Asia Library Group (SEALG) Blog, June 7, 2013, http://southeastasianlibrarygroup.wordpress.com/2013/06/07/a-treatise-on-siamese-cats.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 8 de agosto de 2014