Fragmento de um tratado sobre “Em nome de Deus, o Compassivo, o Misericordioso”

Descrição

Este manuscrito é uma parte composta de 40 páginas de uma obra sobre a declaração pia “bi-ism Allah al-Rahman al-Rahim” (“Em nome de Deus, o Compassivo, o Misericordioso”), formalmente chamada de bismillah ou basmalah. O manuscrito contém muitas hashiyah (anotações marginais) de um autor desconhecido sobre o sharh (comentário) anônimo a uma obra maior, sem título, também de um autor desconhecido. Entoar o bismillah é, para um muçulmano, mais do que simplesmente relembrar o nome de Deus. Alguns comentaristas clássicos argumentam que o bismillah é parte integral do próprio Alcorão, já que todos os capítulos do Alcorão (com uma só excessão) começam com esta oração. A questão é discutida no manuscrito. O autor do comentário abrange tópicos como o uso do termo em al-kutub al-samawiyah (a Bíblia) e suas características linguísticas. Hoje, o muçulmano devoto inicia seu dia com esta frase, repetindo-a ao início de qualquer atividade. O bismillah também é um motivo artístico e arquitetônico usado desde os primórdios do Islã até o presente. O manuscrito foi escrito em caligrafia maghribi (Norte da África), e contém observações sobre quem o possuiu.

Última Atualização: 24 de agosto de 2016