O caminho dos envergonhados em direção à conquista

Descrição

Este manuscrito é um qasidah (poema) de oito páginas sobre Zayn al-Din Sha’ban ibn Muhammad al-Athari (1364 a 1425) louvando o Profeta Maomé. O poeta lista os atributos perfeitos do Profeta e menciona sua estatura, acima de todas as criaturas de Deus. Em seguida, ele fala sobre o milagre de Isra e Miraj, a viagem noturna de Maomé ao céu. O autor se dirige diretamente ao Profeta, pedindo-lhe que “tome-o pela mão”. Ele exalta ahl al-bayt (a família do Profeta), declarando que as orações estão “impedidas e são insignificantes” se não incluírem Fátima, Hasan e Husayn. Os primeiros quatro califas também são elogiados, com ênfase em ‘Ali ibn Abi Talib. O poeta conclui com reflexões pessoais sobre sua própria falta de mérito. O manuscrito não está datado e não apresenta colofão. Embora al-Athari fosse reconhecido como calígrafo, esta cópia, talvez produzida no século XIX, foi escrita em uma caligrafia simplória, sem qualquer distinção em particular. Al-Athari era um estudioso reputado. Ele deixou muitas obras de comentários religiosos, gramáticas da língua árabe e obras de caligrafia. Nascido em Moçul, no Iraque, mudou-se para o Cairo para estudar com os principais estudiosos e calígrafos. Como muitos intelectuais, viajou muito. Viveu em diversos momentos em Damasco, Medina e Meca. Vários de seus escritos, incluindo O caminho dos envergonhados em direção à conquista, foram publicados em edições modernas. Ele é reivindicado por Moçul como filho nativo, e uma tese de graduação sobre suas contribuições como gramático foi escrita na Universidade de Moçul. Este manuscrito está encadernado juntamente a dois outros títulos, A curiosidade mitigada pelas antigas maravilhas relacionadas, de al-Suyuti, e Fundamentos e Regras, de al-Nawawi. Também está encadernada no mesmo volume a primeira página de um manuscrito atribuído ao santo sufista ‘Abd al-Qadir al-Jilani (falecido em 1166).

Última Atualização: 24 de agosto de 2016