Caderneta bancária de Martin Kukučín

Descrição

Temos aqui a caderneta bancária de Martin Kukučín (1860 a 1928), o representante mais ilustre da literatura moderna realista eslovaca. Kukučín trabalhou como médico em Praga, na ilha de Brac (Croácia), no Chile e na Argentina, países que se refletem em sua obra literária. A caderneta, contendo o registro dos royalties que Kukučín ganhou por sua obra literária, foi aberta para ele em 31 de dezembro de 1910. Naquela época, Kukučín estava vivendo na América do Sul e nem sequer possuía cidadania húngara. O verdadeiro nome de Kukučín era Matej Bencúr, mas a caderneta foi emitida sob seu pseudônimo literário de Martin Kukučín. As operações na caderneta foram conduzidas por sete anos na ausência de, e sem, as assinaturas do proprietário. A caderneta foi aberta como o número 3050 pelo Turčianska Participatory Savings Bank (Martin, Eslováquia), e agora é preservada como um artefato único da vida desse importante escritor. O homem que abriu e manteve a caderneta foi provavelmente o Dr. Jozef Skultety (entre 1853 e 1948), um amigo de Kukučín e mais tarde o administrador da Matica Slovenská (Fundação Eslovaca). O documento veio à Biblioteca Nacional Eslovaca pelo espólio de Skultety.

Última Atualização: 16 de janeiro de 2015