Águas do destino

Descrição

A drenagem sistemática dos Everglades da Flórida começou a sério em 1905. Napoleon Bonaparte Broward, então governador da Flórida, destinou fundos substanciais do estado e solicitou ajuda federal para reclamar o uso dos vastos pântanos no sul do Lago Okeechobee. O objetivo final da recuperação dos Everglades era para ter acesso ao rico lodo, em muitas áreas coberto por uma fina camada de água doce. O lodo consistia em material orgânico acumulado por milhares de anos acima da base rochosa de calcário. O lodo resultou em solo fértil e pronto a ser usado, porém se esgotou rapidamente diante da agricultura intensiva. Quando secado pelo sol quente da Flórida, o lodo podia pegar fogo. Essa combinação de fogo e agricultura excessiva reduziu significativamente a extensão do lodo nas décadas após o início da drenagem. Quando o lodo acabou, operações agrícolas comerciais em grande escala dependiam fortemente de fertilizantes que contaminavam o meio ambiente. Além disso, a drenagem necessária para expor o lodo alterou significativamente a paisagem e a ecologia do sul da Flórida. Canais baixaram o lençol d’água e inibiram o fluxo natural do próprio Everglades. Como resultado dos projetos de infraestrutura da drenagem, populações de animais selvagens enfrentaram redução e perda de habitat em toda a região. Esse filme, Águas do destino, apresenta o retrato típico dos projetos de manejo de água antes de todos os seus impactos ambientais ficarem conhecidos. O narrador se refere aos esforços da Região de Controle de Enchentes Sul e Central da Flórida e do Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA ao mostrar “domínio [sobre a água] pela mão do homem determinado”. O filme, produzido em 1950, contém excelentes cenas de todos os aspectos do processo de construção da infraestrutura da drenagem e fornece ideias sobre as mudanças no pensamento sobre o conhecimento do manejo de água desde meados do século XX.

Última Atualização: 17 de outubro de 2014