Marcos da divina revelação

Descrição

Al-Ḥusayn ibn Masʻūd al-Baghawī (de 1044 a 1117, aproximadamente), apelidado de muḥyī al-sunnah (Revigorador das tradições do Profeta), foi um estudioso Shāfiʻi e exegeta do Alcorão. Nasceu, e possivelmente morreu, em Bagh ou Baghshor, uma antiga cidade que ficava em Coração, entre as antigas cidades de Herat (no atual Afeganistão) e Merv (perto da atual cidade de Mary, no Turquemenistão). Essa cópia do manuscrito preserva a segunda e a última parte de maʻālim al-tanzīl (Marcos da divina revelação), de al-Baghawī, uma exegese do Sagrado Alcorão. O manuscrito começa com al-kahf (A caverna), o 18º surah (capítulo), e passa a incluir o restante do livro sagrado muçulmano, com seus 114 capítulos. O texto principal está inscrito em molduras de linhas douradas, verdes e vermelhas. Todos os versos são escritos e vocalizados em tinta vermelha, nas mesmas linhas com a exegese, que segue na cor preta. Há poucos textos nas margens, com a exceção de chamadas e textos rubricados indicando o início das seções. O manuscrito, copiado por [ilegível] Ibn ʿAlī ibn Muḥammad ibn Ismāʿil em 1110 A.H. (1699), pertencia a um homem chamado Muḥammad ibn Sālim ibn 'Āmir al-Ṭawqī ainda em 1946.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

كتاب معالم التنزيل

Tipo de Item

Descrição Física

430 páginas; 22 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 26 de agosto de 2015