Música para o Festival de São Jorge

Descrição

Durante a sessão de 1432 do Tribunal Geral do Principado da Catalunha, realizada em Barcelona, decidiu-se que a capela de São Jorge deveria ser construída no Palau de la Diputación del General (Palácio do Principado da Catalunha, agora chamado de Palau Generalitat de Catalunya, ou Palácio do Governo da Catalunha). São Jorge é o santo padroeiro da Deputació del General. No final do século XVI, a nova capela—hoje conhecida como a Sala de São Jorge—foi construída para acomodar a massa de pessoas que se reúnem nos dias de grandes celebrações, como o 23 de abril, Dia de São Jorge. Este manuscrito contém a coleção de composições religiosas polifônicas a serem cantadas em celebrações na capela. O compositor é Joan Pau Pujol (1573 a 1626), que apresentou os trabalhos para os representantes eclesiásticos, civis e militares da Diputació del General em 1623 a 1626. De acordo com o musicólogo Higini Anglès (1888 a 1969), o manuscrito está escrito por Pujol. Compositor e organista, Pujol foi uma figura-chave na música catalã do século XVII. Ele é considerado o elo entre o Renascimento posterior e o início do Barroco na Catalunha. Ele foi mestre de capela em catedrais de Tarragona (1593 a 1595), El Pilar de Zaragoza (1595 a 1612) e Barcelona (1612 a 1626) e escreveu muitas obras religiosas e seculares, usando policoralidade com técnica impecável caracterizando a combinação de solo de vozes e coros com um contraponto rico. Pujol também ficou conhecido internacionalmente, e muitas de suas obras foram encontradas em cancioneiros de destaque em diferentes países. Apesar disso, as composições de Pujol não foram publicadas, e somente no início do século XX suas obras foram recuperadas pelo musicólogo Felip Pedrell (1841 a 1922). Este manuscrito distingue-se pela precisão de suas notações musicais. As quatro primeiras iniciais são iluminadas no incipit de cada voz, a primeira tendo a figura de São Jorge. A encadernação é feita de couro marrom com decorações douradas, com a Cruz de São Jorge (o brasão de armas da Diputació del General of Catalonia) gravada na capa. O documento é da coleção magnífica reunida pelo compositor e bibliófilo Joan Carreras i Dagas (1828 a 1900). Posteriormente, Pedrell designou-a como número 389 no primeiro volume do catálogo da coleção, publicado em 1908.

Última Atualização: 17 de outubro de 2017