Missa Barcelona. Ars Nova

Descrição

Em meados do século XIV, menestréis estrangeiros e cantores ao serviço da casa real da Catalunha-Aragão introduziram novos estilos musicais no país. Durante o reinado de Pedro IV de Aragão (Pedro III no Principado de Catalunha, reinou entre 1336 e 1387), João I (reinou entre 1387 e 1395), e Martin I (chamado Martin, o Humano, reinou entre 1396 e 1410), a maior parte do menestréis veio da Alemanha, Flandres, França, Inglaterra, Itália e Castela. Os monarcas da casa real da Catalunha-Aragão eram considerados os clientes mais famosos do reino, e a corte real se tornou um dos centros de música mais importantes da Europa. A Ars Nova, o estilo musical da época, desempenhou um papel muito importante na corte de Aragão, ao contrário do que aconteceu no resto da Península Ibérica. Uma razão para isso foi a admiração que a cortes de João I e Martin o Humano tinham pelos músicos franceses, especialmente Guillaume de Machaut (por volta de 1300 a 1377). Além disso, muitos dos cantores na Capela Real em Barcelona vieram da capela pontifícia de Avignon, assim a primeira se tornou uma espécie de instituição subsidiária da segunda. Esta missa polifônica do final do século XIV é parte do repertório litúrgico da época. É um dos primeiros ciclos polifônicos completos da parte comum da missa que se manteve em uso até o presente, semelhante, por exemplo, à Missa de Notre-Dame de Guillaume de Machaut. Vem do repertório de Avignon e está ligada à capela musical catalã e aragonesa. Contém as partes comuns da Missa: Kyrie, Gloria, Credo, Sanctus, e Agnus Dei, e está escrito em três vozes, exceto pela última parte, Agnus Dei, que é em quatro vozes. Embora mantenha a consistência interna, diferentes partes foram compostas de forma independente e só mais tarde se juntaram para formar a missa. Elas pertencem a diferentes compositores, a maioria deles anônimos. O Credo é atribuído a Sortes ou Sortis, que pode ser identificado como Steve de Sort, músico da corte de Aragão, ou como Nicholes Sortes, que era ligado a Avignon. A Missa Barcelona é um pequeno e belo manuscrito em pergaminho que foi adicionado às coleções da Biblioteca da Catalunha, em 1926.

Última Atualização: 13 de janeiro de 2015