Livros do autor, ou modelos feitos à mão de “As rosas de Hércules”, de Tomás Morales

Descrição

Tomás Morales (1884 a 1921) foi um dos principais poetas do movimento modernista hispânico. Sua principal obra, Las rosas de Hércules (As rosas de Hércules), foi escrita sob a influência do simbolismo francês, assim como das obras do maior representante do modernismo literário em língua espanhola, o poeta nicaraguense Rubén Darío (1867 a 1916). A obra de Morales oferece uma perspectiva singular sobre o imaginário poético das primeiras décadas do século XX, em que a mitologia e a estética contribuem no desenvolvimento de uma linguagem ricamente variada, por vezes intensa, por vezes delicada, o que define radicalmente o espaço psicológico e geográfico habitado pelo poeta. Antes das primeiras edições impressas de Las rosas de Hércules (volume I, 1922; volume II, 1919) terem sido publicadas, Morales criou ele próprio estas duas cópias feitas à mão, conhecidas como livros do autor, em que os componentes da futura publicação foram estabelecidos em detalhes precisos: o local dos textos; as vinhetas, desenhos e letras maiúsculas que acompanham cada um dos textos; e as capas. Os textos estão digitados à máquina e escritos à mão, assim como compostos por recortes de imprensa, como em uma colagem. As capas foram ilustradas por Néstor Martín Fernández de la Torre (1887 a 1938). A importância destes livros do autor reside, por um lado, no fato de que são documentos de impressionante valor bibliográfico, contendo anotações do autor escritas à mão sobre como os textos deveriam ser apresentados nas edições impressas, e, por outro lado, na forma como estes documentos confirmam a ideia de Morales do livro como uma obra de arte. Estes livros pertencem às coleções do Museu Casa de Tomás Morales, na Grã Canária.

Última Atualização: 13 de junho de 2016