Despenhadeiro

Descrição

José Jorge Oramas (1911 a 1935) foi um artista da Grã Canária, uma das Ilhas Canárias da Espanha. Oramas morreu jovem, de tuberculose, e apenas 70 de suas pinturas ainda existem. A maioria delas são representações de paisagens das Canárias, cuja forte iluminação é transmitida por meio de cores vivas e de uma claridade intensa. Risco (Despenhadeiro), exibido aqui, é um exemplo típico. Os tons laranja, brancos e azuis fornecem dinamismo a esta composição horizontal simples. Os troncos acentuadamente perpendiculares das palmeiras, que conectam a terra e o céu, contribuem com a sensação de espaço e perspectiva. A vegetação de cactos e palmeiras da Grã Canária, os contornos angulados das construções locais, o mar, o céu e as pessoas da ilha são temas recorrentes das pinturas de Oramas. Ele também retratou as áreas privilegiadas de Las Palmas, como Tirajana, Tafira e Marzagan, e, ao final de sua vida, os morros de San Nicolás e San Roque, que podia ver do quarto do hospital. Oramas pertenceu a uma geração de artistas canários da escola de Luján Pérez, que incluía Rafael Clarés, Juan Márquez, Santiago Santana, Felo Monzón e Juan Ismael. Suas pinturas foram influenciadas pelo indigenismo (nativismo, isto é, uma grande concentração nas formas pré-hispânicas) e pelo realismo mágico descrito pelo crítico de arte alemão Franz Roth. O teórico da arte espanhol Eduardo Westerdahl, editor da Gaceta de arte (Gazeta de arte), também exerceu influência sobre este grupo de artistas no início e em meados da década de 1930. Esta pintura pertence às coleções do Centro Atlântico de Arte Moderna, na Grã Canária.

Última Atualização: 13 de junho de 2016