História dos pachtuns

Descrição

Tavārīkh-i Khūrshīd-i Jahān (literalmente, Histórias do sol do mundo) é essencialmente uma história da ascendência pachto (ou pashton) afegã. Descreve as genealogias pachtuns afegãs, as várias linhagens e os muitos eventos políticos, guerras e sistemas de governo, como as dinastias safávida e mughal na região do Khorasan e na Índia, com as quais os pachtuns foram historicamente identificados. O livro está organizado em 4 seções. A seção 1 é uma lista detalhada do conteúdo. A seção 2 começa com um prefácio que contém os nomes do autor, patrono e colaborador e proclama que a obra “deve ser um livro de história da ascendência pachto afegã desde a criação de Adão”. Esta seção aborda as várias lendas populares genealógicas dos pachtuns afegãos, a principal delas é que eles são descendentes de uma das tribos dos israelitas, especificamente dos filhos de Saul, o primeiro rei de Israel. A seção 3 é o texto principal e tem oito capítulos dedicados à história dos pachtuns. Um epílogo, escrito em prosa e em verso, fornece uma breve conclusão do conteúdo do livro, detalhes de publicação e o nome do autor. As tabelas traçam as diversas genealogias dos pachtuns afegãos com apresentações detalhadas de cada linhagem que aparecem nos vários capítulos. Por exemplo, as tabelas esboçam a origem dos barakzais, alokzais, mohmands, kakars e outras famílias que aparecem nas páginas 188 a 319. Essas tabelas genealógicas são acompanhadas de discussões detalhadas. O livro foi publicado em 1894 em Lahore (no atual Paquistão). O nome completo do autor, Sher Muhammad Khan Saheb Gandapur Ibrahim Zai (1837 a 1902, aproximadamente), aparece na capa do livro. Ele era provavelmente um pachto da tribo de gandapur e um funcionário nomeado pelos britânicos no município de Kulachi, em Dera Ismail Khan, um dos centros administrativos na província da fronteira noroeste da Índia britânica. O prefácio diz que ele tinha escrito outra obra histórica chamada Egle-i Afghanistan (Jardim de flores do Afeganistão), publicada sob o título de Hayat-i-Afghani (A ascendência dos afegãos). Sher Muḥammad Khān afirma que Hayat-i-Afghani caiu nas mãos de Mohammad Hayat Khan Saheb, um oficial de justiça no distrito de Bannu da província, que o publicou em seu próprio nome; a veracidade desta alegação não foi comprovada. Contudo, é evidente que Tavārīkh-i Khūrshīd-i Jahān foi publicado sob o mecenato de Sardar Mohammad Hayat Khan Saheb, que, possivelmente, poderia ter sido o mesmo funcionário. As 319 páginas da obra estão ordenadas em numerais indo-arábicos.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016