Homiliário

Descrição

Este livro de homilias alemão do século XIV ricamente ilustrado é interessante especialmente por seu raro bifólio de desenhos encadernados na parte da frente do livro. Os adereços de cabeça usados pelas freiras nos desenhos são característicos das freiras cistercienses e premonstratenses do norte da Alemanha desde pelo menos 1320. Indícios da data e do local também são encontrados na relação do manuscrito com um segundo livro de homilias da Biblioteca Bodleiana (Oxford, Biblioteca Bodleiana, Ms. Douce 185). A despeito de diferenças codicológicas secundárias — como disposição da página, dimensões do bloco de texto e medidas — parece provável que os dois livros de homilias tenham sido compostos como um conjunto em um mesmo scriptorium. Os desenhos no início deste manuscrito da coleção de Walters foram inspirados pelas miniaturas do livro e são muito semelhantes ao estilo do artista da coleção de Ms. Douce 185, que foi recentemente identificado como um colaborador do Mestre Willehalm. Embora o livro de homilias de Walters não apresente indícios internos de sua localização, este pode ser atribuído à área do Baixo Reno com base nas afinidades gerais entre as obras desta região e a arte inglesa. O livro de homilias de Walters é estilisticamente próximo do pequeno livro de marfim ilustrado com 14 pinturas da Paixão no Museu Victoria e Albert (Londres, Museu Victoria e Albert, inv. nº11-1872), que apresenta características da Vestfália e do norte da Alemanha. A paleta, os desenhos das figuras, o uso de tímpanos em xadrez, os grandes terminais com folhas de hera e notas secundárias com desenhos de macacos no homiliário de Walters também se aproximam dos fragmentos de um antifonário da Vestfália distribuído entre coleções alemãs (Düsseldorf, Universitätsbibliothek, Ms. D. 37a, b e c, e Hamm, Städtisches Gustav-Lübcke-Museum, Mss. 5474-5476). Um segundo grupo de manuscritos estilisticamente relacionados pode ser encontado em um antifonário de dois volumes do convento dominicano de Paradies, próximo a Soest (Düsseldorf, Universitätsbibliothek, Mss. D.7 e D.9).

Última Atualização: 11 de agosto de 2017