Trinta e dois anos com o islã (de 1832 a 1864)

Descrição

Trente-deux ans a travers l'Islam (de 1832 a 1864) (Trinta e dois anos com o islã [de 1832 a 1864]) é um livro de memórias do soldado e diplomata francês Léon Roches (de 1809 a 1901), que conta sua carreira no Norte da África e em outras partes do Oriente Médio, incluindo uma breve permanência em Meca. A história se baseia no seu diário e em correspondências que ele examinou após sua aposentadoria do serviço público. Começando com sua primeira chegada à Argélia Francesa, em 1832, o autor narra suas missões diplomáticas e militares na Argélia, Marrocos, Tunísia, Egito e Arábia. Tal era seu domínio da língua árabe que acabou sendo nomeado intérprete do quartel-general do exército. Nessa função, e mais tarde como assessor dos generais, participou da maioria dos dramáticos acontecimentos que envolveram a revolta de ‘Abd al-Qadir al-Jaza’iri (de 1808 a 1883) contra a crescente ocupação francesa. Ele também incluiu um relato das tensas negociações entre Marrocos e França. Em 1841, Roches viajou para Medina e Meca com pessoas que conheceu no Cairo, pagando sua própria parte das despesas de transporte e alimentação. Apesar de sua laisser-passer das autoridades religiosas, foi preso como um não muçulmano por invadir o solo sagrado reservado para os fiéis. Sob ordens do sharif de Meca, acabou sendo liberto e deportado. O livro de memórias é um documento importante na história do colonialismo francês no Norte da África e revela muitos detalhes sobre os líderes argelinos, especialmente ‘Abd al-Qadir. Ao longo da obra há fotografias e gravuras. Os dois volumes foram publicados em Paris pelo famoso impressor e editor Firmin-Didot.

Última Atualização: 18 de fevereiro de 2015