Defendendo o Alcorão contra difamação

Descrição

Tanzīh al-Qurʼān ʻan al-maṭāʻin (Defendendo o Alcorão contra difamação) é um comentário detalhado sobre o Alcorão do ponto de vista da asa filosófica inicial da teologia especulativa islâmica conhecida como Mu'tazila, que enfatizou a unidade de Deus (Alá) e a primazia da razão humana em compreender sua vontade. Essa visão deu origem a um intenso debate, com visões alternadas expressas por asharitas racionalistas e adeptos místicos (sufis). Na história intelectual islâmica, a especulação filosófica desse tipo é chamada de ‘ilm al-kalam (ciência do discurso). Tal como ocorre em muitos desses argumentos abstratos, o debate invadiu a política e causou até derramamento de sangue. Com o tempo, os pontos de vista teológicos de Abu al-Hasan al-Asha’ari (falecido por volta de 935) prevaleceram como a base da teologia escolástica sunita, e a escola Mu'tazila desapareceu da corrente predominante. O autor da principal obra neste volume, ‘Abd al-Jabbar al-Asadabadi (por volta de 937 a 1025), foi uma figura proeminente no mutazilismo e Tanzīh al-Qur’an tem um importante lugar na sua história. ‘Abd al-Jabbar aborda questões de fé e moral à luz do que ele descreve como as injunções inerentemente racionais do Alcorão. Perguntas e respostas estão organizadas de acordo com as suras (capítulos) do Alcorão. Os tópicos incluem casamento, jogos de azar, consumo de álcool, morte e a jihad. O autor responde a perguntas argumentando que, seja qual for a injunção, Deus criou o melhor para a humanidade e aquele que crê é livre para escolher o caminho certo. Abu al-Hasan ʻAbd al-Jabbar ibn Ahmad ibn ʻAbd al-Jabbar al-Hamadhani (nome completo de ‘Abd al-Jabbar’, apelidado de Qadhi al-Qudhat, que significa: Juiz dos juízes), nasceu em Asadabad no atual Irã. Foi um autor prolífico e líder dos mutazilitas do seu tempo. Sua erudição foi solicitada no tribunal em Bagdá. Mais à frente se mudou para a capital provincial iraniana Rayy (Rey ou Ray), onde morreu. Sua obra grandiosa é al-Mughni (Suma), um compêndio do pensamento da escola Mu'tazila. Tanzih al-Qur’an é seguido por um tratado de 20 páginas atribuído ao juiz e exegeta Raghib al-Isfahani (falecido em 1108), com o título Muqaddimat al-tafsir (Introdução ao comentário do Alcorão), que parece ser um resumo de suas outras e maiores obras sobre o assunto, e não tem nenhuma ligação com a principal obra do volume. O livro foi impresso em 1911 na editora Jamaliyah no Cairo e financiado por Muhammad Saʿid al-Rafiʿ, dono da livraria Azhariyah.

Última Atualização: 6 de abril de 2015