A abundância do louvável e o reforço do que é ainda mais louvável: coletânea de poesia

Descrição

Este diwan, Al-Faydh al- Muhammadi wa-al-Madad al-Ahmadi wa Huwa Diwan (A abundância do louvável e o reforço do que é ainda mais louvável: coletânea de poesia), é um livro de poemas, sendo a maior parte deles em louvor ao Profeta Maomé ou em súplica por suas bênçãos e assistência. Alguns dos versos escapam deste tema, por exemplo, orações poéticas endereçadas a Ahmad al-Rifa’i, fundador da famosa ordem sufista da qual o autor, Abū al-Hudá al-Ṣayyādī, era um líder proeminente (e controverso). Abu al-Huda foi um escritor prolífico, que deixou suas origens humildes na Síria rural para se tornar professor e conselheiro do Sultão Abdülhamid II. Ele foi uma figura religiosa de grande importância, bem como um agente do poder cuja influência na corte otomana era incomparável. Ele foi responsável pela indicação a altos cargos de muitos de seus contemporâneos, especificamente Ahmad Izzat al-Abid (1851 a 1924), conselheiro sírio do sultão. A presença de Abū al-Hudá como um árabe na corte imperial o envolviam na política otomano-islâmica, o que fazia com que muitas de suas decisões fossem sentidas em várias partes do império. Ele foi associado a grandes figuras do movimento reformista islâmico, como Mahmud Shukri al-'Alusi (1856 a 1924), no Iraque, e Muhammad 'Abdu (1849 a 1905), no Egito. A liderança dos sufistas Rifa'iyah fez com que ordens rivais tentassem desqualificar suas alegações religiosas e posição na corte. A história não foi generosa com Abū al-Hudá. Sua rápida ascensão ao poder, posição privilegiada como patrono e a ambiguidade de seus escritos o levaram a ser qualificado como obscurantista, reacionário e fraudulento. Parece irônico que um dos principais elos entre o sultão e seus súditos árabes seja, ainda hoje, amplamente ignorado pela historiografia árabe. Sendo um escritor e publicista infatigável, atribuem-se a ele mais de 200 obras. Os poemas desta coletânea são, em sua maior parte, curtos. Dísticos e versos curtos estão intercalados com poemas mais longos. Muitos versos foram escritos para ocasiões especiais, como o banquete que se segue ao Ramadã, ou compostos para comemorar um evento.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Editora Jawa’ib, Constantinopla

Idioma

Título no Idioma Original

الفيض المحمدي والمدد الأحمدي : وهو ديوان

Tipo de Item

Descrição Física

207 páginas; 22 centímetros

Referências

  1. Ágoston, Gábor, and Bruce Alan Masters, editors, Encyclopedia of the Ottoman Empire (New York: Facts on File, 2009).
  2. Commins, David, Historical Dictionary of Syria (Lanham, Maryland: Scarecrow, 1996).
  3. Eich, Thomas. “Quest for a Phantom: Investigating Abu l-Huda al-Sayyadi,” in ISIM Newsletter 7, number 1 (2001).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 8 de agosto de 2014