O Irmologion, “Rozniki” e festividades: uma compilação litúrgica com notação em gancho

Descrição

Um Irmologion é um livro litúrgico da Igreja Ortodoxa Oriental e de algumas Igrejas Católicas do Rito Oriental. Ele contém textos para serem cantados na igreja, chamados irmoi (hinos introdutórios e, às vezes, de conclusão) para cânones cantados nos ofícios de leitura e em outros serviços ao longo do ano litúrgico. O termo Irmologion vem das palavras gregas para “ligação” e “coletar”. Rozniki (cantos usados em ocasiões específicas, como o Natal e a Páscoa) eram majoritariamente cantados em comunidades dos Velhos Crentes, que rejeitaram as reformas do século XVII na Igreja Ortodoxa Russa oficial. Esta obra foi compilada entre o meio do século XVI e a década de 1720, estando escrita em eslavo eclesiástico, que era então a língua cerimonial eclesiástica mais usada na Ortodoxia Oriental. Seus ganchos diacríticos e a notação musical em znamenny (palavra derivada do termo russo para “marcadores” ou “banners”) foram um desenvolvimento russo a partir da notação bizantina. As principais características deste sistema são seu registro de transições melódicas e codificação do humor musical (suavidade, força, tempo e assim por diante), em vez de notas específicas. A caligrafia é semi-uncial, com letras pequenas. Três tipos de caligrafia, de três períodos diferentes, são discerníveis, com marcas d'água distintas de variados graus de visibilidade. Os fólios 9 a 141, datados de cerca da década de 1550 até 1625, mostram o primeiro tipo de caligrafia e uma marca d'água composta por um pequeno jarro com uma única asa, com uma coroa sobre sua tampa e uma roseta de três pétalas logo acima. O segundo tipo de impressão aparece nos versos dos fólios 143 a 166, datando de cerca de 1625 até meados do século XVII, com marcas d'água quase indiscerníveis. O terceiro tipo de caligrafia, nos versos dos fólios 168 a 288, data de meados do século XVII. Estes fólios têm duas marcas d'água: um pequeno jarro com duas asas e um buquê de folhas, com um pequeno lírio de três folhas no topo e letras de ambos os lados; e o mesmo jarro de duas asas, com uma coroa sobre a tampa e uma lua crescente logo acima, sem letras e com asas mais grossas. A maioria das folhas escritas depois do manuscrito principal (fólios 1 a 8, 142, 167, 271 e 289 a 291, aproximadamente entre 1675 e 1725) estão encadernadas no início e no fim do livro e têm como marca d'água uma das duas diferentes figuras do brasão de Amsterdã. A obra está preservada na Biblioteca Nacional da Carélia, na Rússia.

Data de Criação

Data do Assunto

Tipo de Item

Descrição Física

295 folhas: colorido; 14,5 x 9,2 centímetros

Referências

  1. Roccasalvo, Joan L., “The Znamenny Chant,” The Musical Quarterly, 74, number 2, 1990.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de agosto de 2014