Castelo de Saint-Cloud: escada sul principal

Descrição

A Guerra Franco-Prussiana eclodiu devido a grandes tensões entre a França e a Prússia na década de 1860. A França, sob o domínio do Imperador Napoleão III, estava determinada a colocar em cheque o crescimento da força prussiana e a vingar-se do que via como uma série de humilhações diplomáticas. A Prússia, sob o domínio do chanceler Otto von Bismarck, acreditava que uma guerra dos estados alemães liderada por ela contra a França seria um ato decisivo para a criação de um império alemão unificado. O conflito teve início no dia 19 de julho de 1870, quando a França declarou guerra. O exército francês estava completamente despreparado e sofreu uma derrota desastrosa na Batalha de Sedan, deixando aberta a estrada para Paris. Em 19 de setembro, os alemães haviam cercado completamente a cidade e começaram um cerco que duraria mais de quatro meses. Sem suprimentos do interior do país, os parisienses sobreviveram se alimentando de cachorros, gatos e até da maioria dos animais do zoológico de Paris. As árvores da Champs-Elysées e dos parques foram cortadas e queimadas para combustível. Em 5 de janeiro, os exércitos alemães começaram uma série de bombardeios noturnos à cidade que durava várias horas, durante um período de 23 noites. Cerca de 12.000 bombas foram jogadas em bairros parisienses, matando cerca de 400 pessoas. Paris rendeu-se em 28 de janeiro, pondo fim à guerra. A derrota da França seguiu-se de uma revolta popular e da formação , em março de 1871, da Comuna de Paris, um governo revolucionário formado por princípios anarquistas e socialistas. A Comuna foi derrotada de modo bárbaro em março de 1871 pelas tropas francesas sob o governo de Adolphe Thiers. Durante o curto tempo em que os comunas controlaram Paris, eles desmantelaram a coluna imperial da Praça Vendôme. A supressão da Comuna resultou em grandes danos à cidade. Os comunas incendiaram o Palácio de Tuileries, o Louvre e outros edifícios como atos de desespero durante as lutas contra as forças contrarrevolucionárias. Siege de Paris: 1870–1871 (O cerco de Paris: 1870–1871) é um álbum de 110 fotografias tiradas por Auguste Bruno Braquehais (1823–1875), fotógrafo francês e pioneiro no fotojornalismo, que documenta o cerco e os efeitos do bombardeio e da destruição causada durante a Comuna de Paris. O álbum faz parte da coleção Thereza Christina Maria, compilada pelo imperador Pedro II, do Brasil, e doada por ele para a Biblioteca Nacional do Brasil.

Última Atualização: 2 de agosto de 2013