Eco da Babilônia, Número 36, 22 de abril de 1910

Descrição

Seda Babel (Eco da Babilônia), publicado pela primeira vez em 1909, em Bagdá, foi um dos primeiros jornais do Iraque. Ele surgiu como uma publicação semanal de sextas-feiras. Até o fim da Primeira Guerra Mundial, o Iraque fazia parte do Império Otomano, estando sujeito à lei otomana. Em 1908, alinhada com a revolução liberalizante dos Jovens Turcos, a regulamentação sobre a imprensa imperial foi afrouxada, permitindo que os intelectuais e escritores do Iraque publicassem livremente jornais, revistas e livros. O Seda Babel foi um entre mais de uma dúzia de jornais que surgiram como consequência e como parte de uma tendência que se espalhou por todo o império. Embora o jornal pertencesse e fosse operado por duas personalidades literárias da comunidade cristã caldeia, seu conteúdo era de interesse geral e não apresentava nenhuma orientação especificamente cristã. Neste sentido, ele era similar ao Al-Zaura, um jornal publicado em Bagdá entre 1869 e 1917. De acordo com seu cabeçalho, o Seda Babel buscava abranger “o noticiário político, literário e comercial a serviço do progresso da nação”. Os artigos e comentários mostravam aderência a esta missão. A publicação não era radicalmente política e tinha como objetivo informar, e não persuadir. O chefe de redação (mudir) Yusuf Ghanimah era um historiador amador. Da'ud Sliwa, o editor (sahib al-imtiaz), era um professor e poeta que, durante a Primeira Guerra Mundial, foi exilado do Iraque por causa de seus escritos políticos.

Última Atualização: 7 de março de 2014