Possessões francesas na Oceania

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Possessões francesas na Oceania é o Número 145 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. Este estudo abrange dois grupos de territórios, Nova Caledônia e suas dependências e as colonizações francesas na Oceania. Esta última inclui as Ilhas Sociedade, Ilhas Tubuai ou Austrais, Arquipélago de Tuamotu, Ilhas Gambier (Mangareva) e as Ilhas Marquesas. O livro contém seções sobre a geografia política e física, história política e social, além das condições econômicas, com tratamento diferenciado para os dois grupos de territórios. O estudo relata que a população total dessas ilhas tão espalhadas era de 31.477 em 1911, e ressalta que nos últimos anos a população nativa reduziu, mas foi compensada pelo afluxo de trabalhadores japoneses e chineses. A seção sobre história política relata como as várias ilhas foram descobertas por exploradores espanhóis, holandeses, franceses, britânicos e como ficaram sob o controle francês, começando com a proclamação em 1842 do Protetorado das Ilhas Sociedade (Taiti), o grupo das ilhas Windward e Marquesas. A França começou utilizando a Nova Caledônia como colônia penal em 1864. O estudo conclui que as perspectivas econômicas das ilhas eram bastante sombrias devido à escassez de mão de obra e outros fatores, mas ressalta esses locais como potenciais ativos econômicos. “As ilhas francesas do Pacífico estão situadas em rotas comerciais importantes. As duas rotas de Sidnei a Vancouver e de Sidnei a São Francisco passam, por via de regra, pelo extremo sul da Nova Caledônia. As colônias francesas localizam-se quase que a meio caminho entre a Austrália e o Canal do Panamá e contam com bons portos de escala e pontos de abastecimento de carvão no Sudeste do Pacífico”. Hoje a Nova Caledônia é um conjunto especial dentro da França, provavelmente a caminho da independência total. As outras possessões francesas abordadas no livro são todas parte da Polinésia Francesa.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

H.M. Stationery Office, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

French Possessions in Oceania

Tipo de Item

Descrição Física

72 páginas: tabelas; 22 centímetros

Observações

  • Da série: Manuais da Paz

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de setembro de 2017