Eritreia

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Eritreia é o Número 126 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. O livro trata de geografia política e física, história política, condições sociais e políticas, além de condições econômicas. Na época em que o estudo foi escrito, a Eritreia era uma colônia italiana. Com o incentivo do governo italiano, a Companhia de Navegação Rubattino começou a adquirir territórios de sultões locais nas margens do Mar Vermelho a partir de 1869, e em 1890 a Itália consolidou suas posses no Mar Vermelho sob o nome Eritreia. A seção histórica traça a luta do final do século XIX pela influência e controle na região envolvendo, em diferentes momentos, Egito, Turquia, Grã-Bretanha e Abissínia (Etiópia). A seção econômica discute perspectivas para o desenvolvimento da própria colônia, principalmente como local para plantações de italianos cultivadas por mão de obra indígena, e sua importância para a Abissínia como ponto de saída para o mar. Eritreia permaneceu colônia italiana até a Segunda Guerra Mundial, quando foi ocupada pelos britânicos. Em dezembro de 1952, foi confederada com a Etiópia. Depois de uma longa guerra pela independência, adquiriu reconhecimento internacional como um país independente em 24 de maio de 1993.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

H.M. Stationery Office, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

Eritrea

Tipo de Item

Descrição Física

35 páginas; 22 centímetros

Observações

  • Da série: Manuais da Paz

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de setembro de 2017