Honduras Britânicas

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Honduras Britânicas é o Número 133 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. O livro trata de geografia política e física, história política, condições sociais e políticas, além de condições econômicas. Honduras Britânicas (atual Belize) era, juntamente com a Guiana Britânica (atual Guiana), a única colônia britânica no continente da América do Sul. Sua existência se deve aos lenhadores britânicos que começaram a exploração de madeireiras na costa caribenha da América Central em meados do século XVII, e cujo direito de extrair madeira no território sobre o qual a Espanha havia reivindicado soberania foi reconhecido em vários tratados. Em 1798 os espanhois tentaram a força acabar com o assentamento britânico em Belize, o que levou os britânicos a apresentarem sua própria reivindicação de soberania e estabelecer formalmente uma colônia britânica. O estudo discute as relações entre a colônia e os países da América Central, a maioria dos quais descartou o domínio espanhol em 1821, e as negociações entre Grã-Bretanha e Estados Unidos a respeito da construção de um canal transoceânico que ligaria os oceanos Atlântico e Pacífico. No Tratado Clayton-Bulwer de 1850, os governos dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha prometeram que partilhariam a responsabilidade pela construção e gestão desse canal (mais tarde anulado no Tratado Hay-Pauncefote de 1901), e que nenhum dos governos estabeleceria colônias ou fortificações em qualquer parte da América Central. No entanto, as Honduras Britânicas foram dispensadas dessa disposição do tratado. A seção sobre economia salienta a importância da continuidade da indústria florestal; foram identificadas 83 diferentes tipos de árvores existentes na colônia, das quais o mogno era comercialmente o mais importante. Também importante era o chicle, uma goma natural extraída do sapotizeiro.

Última Atualização: 11 de setembro de 2017