Líbia Italiana

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Líbia Italiana é o Número 127 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. O estudo inclui seções sobre geografia política e física, história política, condições sociais e políticas e condições econômicas. Narra como a Líbia foi controlada sucessivamente pelos fenícios, gregos, egípcios, romanos, vândalos, bizantinos e árabes. Do século XIV em diante, foi dominada principalmente pelos piratas berberes, que em 1518 aceitaram a soberania do Império Otomano. A Itália, que há muito tempo abrigou projetos coloniais no norte da África, declarou guerra ao Império Otomano em setembro de 1911 e enviou uma força expedicionária para a Líbia. Os italianos fixaram de fato o controle sobre o país em 1912. O estudo descreve a resistência ao governo italiano, muito do que se centrou em um movimento religioso islâmico, a Confraria Sanūsī (ordem Senussi). Salienta a importância do Islã e, em particular, o papel do Sufismo, mas também observa a presença de uma comunidade de cerca de 20.000 judeus, em sua maioria descendentes de colonos judeus da época romana. A seção sobre as condições econômicas contrasta a prosperidade agrícola da Líbia durante os tempos antigos com as condições desérticas do início do século XX e conclui: “A antiga prosperidade, tal como era, veio somente depois de séculos de esforço; e o desenvolvimento moderno em qualquer escala considerável é provável que seja lento, dispendioso e trabalhoso”.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

H.M. Stationery Office, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

Italian Libya

Tipo de Item

Descrição Física

71 páginas; 22 centímetros

Observações

  • Da série: Manuais da Paz

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de setembro de 2017