Bulgária

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Bulgária é o Número 22 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. A Bulgária foi um poderoso reino medieval que ficou sob o controle dos turcos otomanos no século XIV. A Guerra Russo-Turca de 1877-1878 e o Congresso de Berlim de junho-julho de 1878 resultaram na criação do Principado da Bulgária, que se manteve, no entanto, subordinado à suserania otomana. A independência completa foi alcançada em 1908. O livro contém seções sobre geografia política e física, história política, condições sociais e políticas e condições econômicas. Descreve a história turbulenta da Bulgária no final dos séculos XIX e início do século XX, até a Primeira Guerra Balcânica de 1912 a 1913, em que uma aliança formada pela Bulgária, Montenegro, Sérvia e Grécia atacou e derrotou o Império Otomano, e a segunda Guerra dos Bálcãs de 1913, em que a Bulgária lutou contra a Romênia, Sérvia, Grécia, Montenegro e o Império Otomano pelos espólios da Primeira Guerra Balcânica. O estudo destaca a importância da Igreja Ortodoxa búlgara, mas observa a presença de minorias muçulmanas, judaicas, católicas e protestantes e conclui que “a tolerância religiosa prevalece em maior medida do que em qualquer outro Estado no leste europeu”. A economia búlgara é caracterizada como relativamente atrasada, com apenas as bases de um setor industrial moderno. A maioria dos búlgaros se dedicava à agricultura, com a sericicultura (a criação de bicho da seda) e o cultivo de rosas como importantes setores da economia agrícola.

Última Atualização: 11 de setembro de 2017