Turquia na Europa

Descrição

Em preparação para a esperada conferência de paz após a Primeira Guerra Mundial, na primavera de 1917, o Ministério das Relações Exteriores britânico criou um departamento especial responsável pelo planejamento de informações de base que seriam usadas pelos delegados britânicos durante a conferência. Turquia na Europa é o Número 16 em uma série de mais de 160 estudos produzidos por este departamento, a maioria dos quais foi publicada após a conclusão da Conferência de Paz de Paris, em 1919. Em 1914, quando a guerra começou, o Império Otomano tinha perdido a maioria de seus outrora extensos territórios na Península Balcânica, e seu domínio estendia-se apenas à atual Turquia europeia e à região da Trácia (na atual Grécia). O livro fornece uma visão geral da geografia física e política destas regiões, uma breve história política do império desde a sua fundação em 1300 até o início do século XX, e um capítulo extensivo sobre as condições econômicas. A seção “Objetivos da Guerra dos Jovens Turcos” cita extensivamente um memorando distribuído às províncias turcas um dia após o Império Otomano ter declarado guerra ao Império Britânico, à Rússia e à França, enfatizando a centralidade dos motivos pan-islâmicos e panturanianos. Concluindo que o “ideal dos Jovens Turcos de repetir sob as condições modernas as conquistas turanianas de Jenghiz Khan e Tamerlão” tinha fracassado. O termo turaniano refere-se a um movimento que tinha como alvo unir todos os povos turanianos que, alegadamente, incluíam os túrquicos e alguns outros povos relacionados.

Última Atualização: 14 de novembro de 2017