China, com a Coreia e partes do Tartaristão: as partes mais próximas, a partir dos mapas desenhados por missionários jesuítas entre os anos de 1708 e 1717

Descrição

Entre 1708 e 1717, missionários jesuítas que residiam na China supervisionaram um levantamento abrangente do Império Chinês, a pedido do imperador. O material cartográfico produzido pelo levantamento foi levado da China a Paris, onde foi usado por Jean-Baptiste Bourguignon d’Anville (1697 a 1782), o grande cartógrafo, geógrafo e coletor de mapas, para compilar seu Nouvel atlas de la Chine, de la Tartarie Chinoise et du Thibet (Novos atlas da China, Tartária Chinesa e Tibete). Este atlas foi publicado na Holanda em 1737 como obra complementar à Description géographique, historique, chronologique, politique, et physique de l'empire de la Chine (Descrição geográfica, histórica, cronológica, política e física do Império Chinês), do Padre J.-B. Du Halde, publicada em 1735. O mapa apresentado aqui, da China, Coreia e de partes vizinhas da Ásia Central, então conhecidas como Tartária, em holandês e francês, é uma adaptação de um dos mapas de D'Anville. A legenda, em holandês na parte inferior e em francês na cartela, afirma que ele foi baseado nos levantamentos jesuíticos. Os topônimos estão em francês e holandês, com as traduções holandesas às vezes apresentadas entre parênteses. A Grande Muralha, ao norte da China, é exibida. A escala está em léguas francesas, e o meridiano primário está colocado na Ilha do Ferro, a mais meridional das Ilhas Canárias.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Paris

Título no Idioma Original

La Chine avec la Korée et les Parties de la Tartarie : les plus voisines, tirée des Cartes que les Jesuites Missionaires ont levées les Annees 1708 jusqu'en 1717

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

1 mapa; 40 x 33 centímetros

Observações

  • Escala linear 10.000.000

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 25 de abril de 2014