Mosteiro de Tashilhunpo

Descrição

Esta fotografia mostra o mosteiro de Tashilhunpo (também encontrado como Tashi-Ihumpo, em outras fontes). Especificamente, a fotografia mostra uma vista traseira do teto (dourado) sobre a tumba do quarto Lama Pan-ch'en (ou Panchen). Ela pertence a uma coleção de 50 fotografias do Tibete central, adquiridas em 1904 da Sociedade Geográfica Imperial Russa, em São Petersburgo, pela Sociedade Geográfica Americana. Em Jornada a Lhasa e ao Tibete central (1902), Sarat Chandra Das escreve: “Nós entramos no mosteiro de Tashilhunpo pelo pequeno portão ocidental, diante do qual há dois chortens—um muito grande com um pináculo dourado e outro menor, mas muito bem construído. [. . .] Os raios do sol que se punha brilharam sobre os pináculos dourados das casas e tumbas do mosteiro, produzindo uma vista encantadora”. Das também relata as palavras do Capitão Samuel Turner, que havia visto o mosteiro ainda quando criança: “Se a magnificência do lugar pudesse ser aumentada por qualquer causa externa, nada poderia adornar de maneira mais sublime seus pináculos e torres douradas do que o sol nascendo em pleno esplendor, do lado oposto. Isto produz uma vista maravilhosamente bela e brilhante; o efeito se aproximava da mágica, e me produziu uma impressão que o tempo jamais será capaz de apagar em minha mente”. As fotografias desta coleção foram tiradas por dois lamas budistas mongóis, G.Ts. Tsybikov e Ovshe (O.M.) Norzunov, que visitaram o Tibete em 1900 e 1901. Acompanham as fotos um conjunto de notas escritas em russo para a Sociedade Geográfica Imperial Russa, de Tsybikov, Norzunov e outros mongóis familiarizados com o Tibete central. Alexander Grigoriev, membro correspondente da Sociedade Geográfica Americana, traduziu as notas do russo para o inglês em abril de 1904.

Última Atualização: 22 de março de 2016