Greta Garbo

Descrição

Desde a invenção da primeira câmera, praticamente, as técnicas fotográficas têm sido usadas tanto para capturar quanto para alterar a realidade. Isso se aplica, sobretudo, à fotografia de retratos, que transformou pessoas reais em mitos e lendas com a ajuda de imagens cuidadosamente elaboradas. Henry B. Goodwin, pintor de paisagens bávaro, cujo nome original era Heinrich Buergel, era um estudioso do islandês antigo e um dos pioneiros da fotografia de retratos na Escandinávia. Goodwin adotou uma nova pátria e um novo nome, e contribuiu para a imagem visual de seus contemporâneos suecos tornando-se o fotógrafo social mais renomado da Suécia em sua época. Da mesma forma como reconstruiu sua própria imagem, Goodwin redefinia as pessoas que fotografava. Ele era um partidário do pictorialismo, uma escola de fotografia que defendia que o mérito estético era mais importante do que o objeto retratado. Esta crença o ajudou a transformar aquilo que retratava em ícones. Ele se tornou um criador de imagens, não apenas promovendo a imagem já existente de seus clientes, mas também criando outras, completamente novas. No caso da jovem Greta Garbo, mostrada aqui em fotografia de Goodwin de 1920, ele estabeleceu os fundamentos visuais para uma imagem que era global em sua iconografia e que evitava propositalmente características nacionais.

Última Atualização: 28 de junho de 2013