Revelações de Santa Brígida da Suécia

Descrição

Santa Birgitta (ou Brígida) da Suécia (entre 1303 a 1373, aproximadamente) era conhecida por suas revelações, escritas supostamente em sueco e, posteriormente, traduzidas para o latim por um de seus dois confessores. Quando ficou doente, ela mudou sua prática habitual, ditando as revelações a um de seus confessores, que em seguida as traduziu para o latim. Na coleção de manuscritos da Biblioteca Nacional da Suécia está preservado um documento que oferece uma visão única sobre as origens das revelações de Birgitta. Ele consiste de três folhas de papel, uma folha única e duas costuradas, nas quais há um esboço de duas revelações, escrito em sueco pela própria Birgitta. O texto contém muitos erros de ortografia e alterações na caligrafia de Birgitta, que respaldam a conclusão de que os documentos eram esboços. A linguagem usada por Birgitta contém algumas palavras emprestadas do latim e expressões nativas incomuns. Os manuscritos pertenciam à Abadia de Vadstena, a principal casa das brigidinas, comunidade religiosa fundada por Santa Birgitta por volta de 1350. A abadia foi fechada em 1595 e o manuscrito, por fim, ficou sob a tutela da Biblioteca Nacional da Suécia em 1854.

Última Atualização: 10 de setembro de 2014