Espelho dos Saxões

Descrição

Mais de 400 manuscritos do Sachsenspiegel (Espelho dos Saxões) sobreviveram, atestando a ampla disseminação e influência em toda a Europa deste primeiro livro de leis em alemão. As cópias mais belas são os quatro manuscritos iluminados, todos produzidos entre 1295 e 1371, e hoje mantidos em Heidelberg, Oldemburgo, Dresden e Wolfenbüttel. O documento artisticamente mais valioso entre eles é o manuscrito de Dresden, preservado na Biblioteca Estadual da Saxônia e da Universidade Técnica de Desdren. Suas 924 sequências de imagens em 92 páginas são as mais extensas nos quatro manuscritos iluminados e ilustram cerca de 4.000 pessoas no total. Cada página está disposta em colunas separadas para imagem e texto, que ampliam e esclarecem uma à outra, e que são ligadas por iniciais decoradas. O Sachsenspiegel foi escrito por volta de 1220 como uma compilação, em latim, da lei consuetudinária saxônica. O cavaleiro e administrador saxão Eike von Repgow (1180 a 1233, aproximadamente) traduziu o trabalho para o baixo-alemão médio por volta de 1220 e 1233. O original em latim não sobreviveu. O trabalho é o primeiro grande documento legal na Alemanha e exerceu um profundo efeito no desenvolvimento da lei não apenas na Alemanha, mas em muitos países da Europa Oriental. Está dividido em três partes: os preâmbulos, a seção que trata da lei comum e a seção que define a lei feudal. O prefácio menciona que a fonte deste código legal é a ordem divina: Deus é a Lei. O autor solicita o apoio das “pessoas justas” no caso de ter negligenciado qualquer questão legal, pedindo que eles resolvam tais problemas de acordo com sua “intuição interior” da melhor maneira possível. O manuscrito de Dresden foi copiado entre 1295 e 1363, na área de Meissen, Alemanha. Ele foi severamente danificado por água após o bombardeio de Dresden em fevereiro e março de 1945, mas foi restaurado nos anos de 1990.

Última Atualização: 17 de outubro de 2017