Salmos de Davi. Terceiro volume da Bíblia

Descrição

Este códice é o terceiro volume de uma Bíblia em três volumes encomendada na Itália pelo Rei Matias Corvino, da Hungria (1443 a 1490) para sua biblioteca. Os manuscritos foram copiados por Antonio Sinibaldi ou por seu pupilo Alessandro Verazzano, provavelmente entre 1489 e 1490. Todos os três volumes permaneceram inacabados, pelo menos no que diz respeito às iluminuras. No momento da morte de Matias Corvino, Lourenço de Médici, conhecido como Lourenço, o Magnífico, incorporou os livros à coleção dos Médici. Este volume, que é conhecido como o Saltério corviniano, contém o Novo Testamento completo, precedido dos Salmos de Davi e de dois prólogos aos Provérbios de Salomão, traduzido em latim por São Jerônimo (a Vulgata). Ele foi iluminado por Gherardo e Monte di Giovanni, provavelmente em 1488. Esta Bíblia faz parte da Coleção Plutei, que consiste em aproximadamente 3000 manuscritos e livros da coleção privada da família Médici, que, encadernados em couro vermelho e acompanhados do brasão dos Médici, foram organizadas sobre os bancos da Laurenziana quando a biblioteca foi aberta pela primeira vez ao público, em 1571. Cosme de Médici (1389 a 1464) possuía 63 livros entre 1417 e 1418, sua coleção aumentou para 150, na época de sua morte. Seus filhos Pedro (1416 a 1469) e João (1421 a 1463) disputavam quem encomendava o maior número de manuscritos iluminados. Lourenço, o Magnífico (1449 a 1492), filho de Pedro, adquiriu um grande número de códices gregos e, a partir da década de 1480, encomendou cópias de todos os textos que faltavam na biblioteca com o objetivo de tornar o acervo dos Médici um importante centro de pesquisa. Após a expulsão dos Médici de Florença, em 1494, os livros foram subtraídos da família. João de Médici, eleito Papa Leão X em 1513, restituiu a coleção à família Médici, e outro papa Médici, Clemente VII (Júlio de Médici), encarregou-se da criação da Laurenziana.

Última Atualização: 11 de agosto de 2017