Atentados à bomba na Espanha. Petição enviada à Liga das Nações pela Organização Internacional do Trabalho, pelo presidente do Conselho do Trabalho, Miguel Santalo

Descrição

A Guerra Civil Espanhola de 1936 a 1939 envolveu uma revolta prolongada das forças lideradas pelo general nacionalista Francisco Franco contra o governo republicano espanhol, que no fim das contas acabou sendo tomado pelos nacionalistas. Sob a liderança do ditador Benito Mussolini, a Itália apoiou os nacionalistas com o fornecimento de armas e o envolvimento militar direto. Entre 16 e 18 de março de 1938, forças italianas realizaram um bombardeio aéreo na Barcelona controlada pelos republicanos, em apoio aos nacionalistas, o que resultou na morte de mais de 1000 civis. Mostra-se aqui a petição enviada em 31 de março de 1938 ao diretor da Organização Internacional do Trabalho em Genebra por Miguel Santalo, presidente do Conselho do Trabalho da República Espanhola, solicitando que a Liga das Nações censurasse as ações da Itália. Santalo argumentou que as forças italianas e nacionalistas haviam violado uma resolução da Liga de 25 de julho de 1932, proibindo o bombardeio aéreo de alvos civis e enfatizando que, se a Liga não assumisse uma posição importante neste caso, ela estaria dando salvo-conduto para novos bombardeios de civis na Espanha e em outros lugares. A petição pertence aos arquivos da Liga, que foram transferidos para as Nações Unidas em 1946, e estão armazenados no gabinete da ONU, em Genebra. Eles foram anexados ao registro da Memória do Mundo da UNESCO em 2010.

Última Atualização: 24 de maio de 2017