Solicitação de passaporte, Comitê Nansen em Berlim

Descrição

O Comitê Internacional Nansen para os Refugiados foi autorizado pela Liga das Nações no outono de 1930 e iniciou suas operações no dia 1º de abril de 1931. Ele foi o sucessor da primeira agência internacional a lidar com refugiados, a Alta Comissão para os Refugiados, criada em junho de 1921 pela Liga das Nações sob a direção do explorador e estadista norueguês Fridtjof Nansen (1861 a 1930). O Secretariado da Liga assumiu a responsabilidade por refugiados internacionais e pessoas apátridas, encarregando o comitê Nansen de desempenhar suas responsabilidades nesta área. O escritório forneceu apoio material, legal e financeiro a quase um milhão de refugiados, incluindo armênios na Síria e no Líbano e refugiados do Sarre, que haviam sido realocados para o Paraguai. Após a tomada do poder na Alemanha em 1933 pelos nazistas, o comitê Nansen esteve intensamente envolvido em auxiliar os judeus e outras pessoas perseguidas a deixarem o país. O comitê emitia o “Passaporte Nansen”, um substituto internacional de um passaporte comum, que permitia que pessoas apátridas ou privadas de seus passaportes nacionais entrassem e transitassem em outros países. Esta fotografia, dos arquivos da Liga das Nações, mostra uma requisição de certificado sendo processada pelo Comitê Nansen em Berlim, na Alemanha. O Comitê Internacional Nansen para os Refugiados recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1938. Os arquivos da Liga foram transferidos para as Nações Unidas em 1946 e estão armazenados no gabinete das Nações Unidas em Genebra. Eles foram anexados ao registro da Memória do Mundo da UNESCO em 2010.

Última Atualização: 24 de maio de 2017