Grupo de faquires, Kandahar

Descrição

Esta fotografia de um grupo de faquires ou dervixes pertence a um álbum de fotografias históricas raras que retrata pessoas e lugares associados à Segunda Guerra Anglo-Afegã. O termo fakir às vezes se refere a homens santos hindus, mas, neste contexto, deve ser entendido como a descrição de um muçulmano sufi santo, que pratica uma forma ascética do Islã com particular ênfase na pobreza e na devoção pessoal a Deus. Os homens sufi nesta foto parecem mendigos; na verdade, muitos faquires tinham na mendicância um meio de subsistência básico. O faquir sentado à esquerda, no centro, olhando diretamente para a câmera, é retratado em outra fotografia deste álbum. Em seu colo há um kashkul, isto é, uma tigela ou pote para receber doações de alimentos, simbolizando o esvaziamento do ego do sufi por meio da renúncia dos bens e aspirações materiais. A Segunda Guerra Anglo-Afegã começou em novembro de 1878, quando a Grã-Bretanha, temendo o que era visto como uma crescente influência russa sobre o Afeganistão, invadiu o país pela Índia Britânica. A primeira fase da guerra terminou em maio de 1879, com o Tratado de Gandamak, que permitiu aos afegãos manterem a soberania interna, porém forçando-os a ceder aos britânicos o controle sobre sua política externa. Os confrontos recomeçaram em setembro de 1879, após uma rebelião antibritânica em Cabul, e, finalmente, terminaram em setembro de 1880 com a decisiva Batalha de Kandahar. O álbum inclui retratos de líderes britânicos e afegãos, de militares e de cidadãos afegãos comuns; além de imagens de acampamentos militares britânicos, atividades, estruturas, paisagens, cidades e vilas. Todos os locais fotografados se encontram dentro das fronteiras dos atuais Afeganistão ou Paquistão (que era parte da Índia britânica, naquela época). Cerca de um terço das fotografias foi tirado por John Burke (entre 1843 e 1900, aproximadamente); um outro terço, por Sir Benjamin Simpson (1831 a 1923) e o restante por vários outros fotógrafos. Algumas das fotografias não indicam o nome do fotógrafo. O álbum possivelmente foi compilado por algum membro do governo da Índia britânica, mas isso ainda não foi confirmado. Não se sabe como ele chegou até a Biblioteca do Congresso.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016