Descrição ilustrada do mundo (edição pequena)

Descrição

Esta obra é de Nan Huairen, nome chinês de Ferdinand Verbiest (1623 a 1688), um jesuíta belga que se juntou à ordem em 1641 e foi enviado como missionário para a China em 1655. Verbiest chegou a Macau em 1658, junto de Wei Kuangguo (nome chinês de Martin Martini, 1614 a 1661), e depois foi transferido para Xiaxi. Em 1660, enquanto residia em Shaanxi, ele foi convocado a Pequim para auxiliar o missionário jesuíta alemão Johann Adam Schall von Bell na confecção de um calendário. O primeiro grande teste para Verbiest veio durante o chamado caso do calendário de 1664 a 1665, quando o estudioso confuciano chinês Yang Guangxian (1597 a 1669), preocupado com preservar a integridade da cultura chinesa e como medo de uma invasão europeia, proferiu várias acusações contra Schall. Schall, que estava em seu leito de morte, foi encarcerado junto aos missionários Ludovico Buglio (1606 a 1682), Gabriel de Magalhães (1609 a 1677) e Verbiest. A maioria dos missionários foi expulsa de Pequim e mantida em prisão domiciliar. Verbiest foi liberado no dia 2 de maio de 1665. Ele defendeu Schall no tribunal e conseguiu garantir sua recuperação póstuma. Além de ser um missionário, Verbiest foi um cientista, engenheiro e diplomata. Em 1670 e 1676, ele atuou como intérprete do imperador chinês durante as negociações com delegados portugueses e russos. Em 1669, Verbiest foi responsável pela elaboração e execução do projeto de uma esfera armilar elíptica, uma esfera armilar equatorial, um instrumento azimutal, um quadrante e um globo estelar, todos instrumentos de elaboração ocidental que acabaram superando os instrumentos chineses usados no Observatório de Pequim. Verbiest recebeu o posto mandarínico de segunda classe e, em 1681, foi homenageado pelo Papa Inocêncio XI. Ele foi nomeado diretor do Observatório Imperial em 1669 e morreu em 1688. Suas obras abrangem uma ampla gama de assuntos, incluindo religião, astronomia, geografia e conhecimentos militares. Sua Ling tai yi xiang zhi (Teoria, construção e uso dos instrumentos astronômicos e mecânicos), publicada em 1674, explica como desenhar, fabricar, instalar e usar seus instrumentos. Suas outras obras incluem Yi xiang tu (Ilustrações dos instrumentos astronômicos e mecânicos), Kangxi yong nian li fa biao (Calendário Kangxi perpétuo para 2.000 anos), Kun yu quan tu (O mapa-múndi, edição pequena), Kun yu tu shuo (Descrição ilustrada do mundo), Chi dao nan bei xing tu (Mapa estelar do norte e do sul do equador), Ce yan ji lue (Observações astronômicas) e Xi fang yao ji (Descrição dos reinos mais importantes do Ocidente). A obra apresentada aqui, uma edição manuscrita feita no final do período Kangxi (1662 a 1722), contém mais de 30 registros e se concentra em itens fantásticos e estranhos, como pássaros gigantes, animais míticos e homens de pedra. No entanto, a obra também fornece algum conhecimento astronômico e de outra natureza, como o conceito ocidental dos quatro elementos e informações sobre pequenos relógios despertadores, a limitação da luz solar durante o inverno, cobras sem olhos e avestruzes. Com duas exceções, os registros são bem curtos, indo de dez a 100 ou 200 palavras. Esta cópia da Biblioteca Nacional Central é parte de uma série intitulada Shuo ling, junto de três outras obras sobre Taiwan e Annam escritas pelos autores chineses Lin Qianguang, Ji Linguang e Lu Ciyun.

Última Atualização: 24 de maio de 2017