Cópia resumida do mapa geográfico da corte interna da dinastia Qing

Descrição

Esta obra é de Liu Yan, também chamado de Dezhi, um estudioso de história, geografia e astronomia de meados e do fim da dinastia Qing. Liu Yan produziu e contribuiu com várias obras no campo da geografia, incluindo Ji yuan bian (Dicionário de nomes de reinados), Li dai di li yan ge tu (Um atlas histórico e geográfico das dinastias) e Li dai di li zhi yun bian jin shi (Dicionário de nomes geográficos com novas explicações). Embora a maioria de suas obras tenha aparecido sob o nome de seu professor, o renomado geógrafo Li Zhaoluo (1769 a 1841), a contribuição de Liu Yan à academia é irrefutável. Ele usou uma obra escrita por seu tio Liu Chengru, também aluno de Li Zhaoluo, para produzir esta cópia em tamanho reduzido, que foi publicada no décimo quarto ano (1834) do Imperador Daoguang (que reinou entre 1821 e 1850) com o nome: Huang chao nei fu yu di tu suo mo ben (Cópia resumida do mapa geográfico da corte interna da dinastia Qing). A obra é dividida em três partes. A primeira parte é composta por relatos históricos sobre a dinastia; a segunda parte lida com a terra arável, a regulamentação tributária e os costumes; a terceira parte apresenta tabelas de vias navegáveis. Mapas-múndi simplificados aparecem antes e depois da página de rosto. Na frente, há uma dedicatória escrita por Weng Tonghe (1830 a 1904), estudioso de Confúcio e integrante da Academia de Hanlin, que depois virou ministro do Ministério da Receita, das Obras Públicas e da Guerra. Weng Tonghe copiou a obra, com comentários, enquanto trabalhava como compilador em Hanlin. Isso aconteceu pouco depois da invasão anglo-francesa da China entre 1858 e 1860, um evento que chamou atenção para a geografia de Xinjiang e para as atividades diplomáticas das fronteiras com as quatro principais potências estrangeiras (Grã-Bretanha, França, Estados Unidos e Rússia). A obra fornece informações sobre as localizações de montanhas, rios e quartéis em pontos estratégicos. Também é interessante ver as discussões sobre o comércio e os vários negócios feitos entre a China e governos estrangeiros. Há anotações escritas em vermelho, preto, amarelo e verde, como, por exemplo, uma nota que diz “Comércio com Taiwan” próxima do topônimo Lu'ermen, que é um porto de Tainan, em Taiwan. Quando Weng Tonghe virou o tutor do Imperador Guangxu, ele usou este manuscrito para orientar o imperador sobre negociações a respeito da proteção de fronteiras.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Jinling (atual Nanquim)

Idioma

Título no Idioma Original

清内府輿地圖縮摹本

Tipo de Item

Descrição Física

1 volume; 18,9 x 12,3 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 24 de maio de 2017