Suplemento do dicionário geográfico da prefeitura de Wu

Descrição

Wujun (Prefeitura de Wu) é um nome antigo usado durante as dinastias Qin e Han (221 a.C. e 220 a.C.) para a sede de Guiji (situada na atual Suzhou). As palavras tu jing no título denotam um tipo mais antigo de dicionário geográfico local, que apareceu pela primeira vez durante a dinastia Han Oriental (25 a 220 d.C.). Apenas após a dinastia Song do Sul estas obras foram substituídas por dicionários geográficos mais formais. Esta obra impressa é uma edição muito rara da dinastia Song. A obra volta para 1099, o segundo ano da era de Yuanfu durante o reino do imperador Zezong (1086 a 1100), quando Zhu Anshang de Suzhou começou a gravação, descontinuando-a, contudo, por causa da guerra que estava ocorrendo naquela época. Sun You, prefeito de Suzhou, assumiu a impressão em 1134, durante o reinado do primeiro imperador da dinastia Song do Sul, Gaozong (que reinou entre 1127 e 1164). Uma edição Ming posterior, publicada pelo pintor e bibliófilo Qian Qingshi (1508 a 1587), também foi produzida, mas sua qualidade era inferior à da cópia Song. Em seu pós-escrito à mão, Huang Peilie (1765 a 1825), o famoso bibliófilo Qing, conta como adquiriu a obra. Sabendo de uma cópia na residência do livreiro Gu Tingyu, ele o visitou e ficou impressionado com a qualidade do livro, com a tinta e o papel luxuosos, que eram superiores àqueles de sua própria cópia. O preço do livro foi definido a 60 peças de prata. As negociações para a aquisição não deram certo. Huang Peilie então visitou Gu uma segunda vez, que convenceu Huang de que o Wujun zhi (Dicionário geográfico da prefeitura de Wu), junto de uma obra de um poeta da dinastia Song do Sul, Fan Chengda (1126 a 1193), valeria tanto quanto um par de jades de preço inestimável. Finalmente, Huang adquiriu a cópia por 50 peças de prata. Weng Tonghe (1830 a 1904), um político e calígrafo famoso, adicionou um pós-escrito à obra, no qual afirma que esta é a única cópia existente. A obra completa foi compilada por Zhu Changwen (1039 a 1098), que era um nativo de Suzhou e teórico da caligrafia. Já que havia um dicionário geográfico anterior intitulado Wu di ji, esta obra foi chamada de suplemento. Ela tem três juan. O primeiro juan contém um índice e trata de 15 elementos geográficos, incluindo fronteiras, vilas, população, vizinhanças, produtos locais, costumes sociais, nomes de casas, escolas, residências do condado, o Jardim do Sul, celeiros, rotas marítimas, pavilhões, a prefeitura e personalidades. O segundo juan aborda pontes, templos, palácios, mosteiros, montanhas e corpos de água. O terceiro juan lida com a gestão da água, antiguidades, casas com jardim, tumbas, inscrições em tumbas, eventos e diversos. O número de categorias é duas vezes maior do que o da obra anterior. Praticamente todos os aspectos de Suzhou foram abordados, mas é especialmente notável a ênfase dada à geografia, incluindo descrições de fronteiras e a fundação do Estado de Wu. A ênfase em rotas marítimas e gestão de águas reflete o fato de que Suzhou está localizada próxima ao mar e tem vários lagos e rios. As antiguidades culturais locais também são descritas em detalhes. Este rico conteúdo faz da obra um valoroso recurso para o estudo da história de Suzhou.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Sun You, Suzhou, China

Idioma

Título no Idioma Original

吳郡圖經續記

Tipo de Item

Descrição Física

3 juan, 3 volumes, 21 x 15,1 centímetros

Observações

  • A Biblioteca Digital Mundial apenas exibe o prefácio e os juan 1 e 2.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 24 de maio de 2017