Edição anotada do “Livro dos ritos”

Descrição

Li ji (O livro dos ritos) é um dos Cinco Clássicos do cânone confuciano, que teve influência significativa sobre a história e a cultura da China. Este livro foi reescrito e editado pelos discípulos de Confúcio e seus estudantes após a “Queima dos livros”, ocorrida durante o reinado de Qin Shi Huang, o primeiro imperador da China, por volta de 213 a.C. A obra descreve as formas sociais, o sistema governamental e os ritos cerimoniais da dinastia Zhou (de 1046 a 256 a.C.). Li significa literalmente “ritos”, mas também pode ser usado para se referir ao “cerimonial” ou às “regras de condutas”, formas tradicionais que ofereciam um padrão de conduta. As ideias de Li se tornaram intimamente associadas à natureza humana, à ética e à ordem social na medida em que as pessoas integraram essas ideias em suas vidas. A obra contém decretos e instituições, regras e regulamentos, bem como rituais e etiqueta. Nesta edição, mais ou menos doze palavras tabu do período da dinastia Song foram evitadas. Evitar certas palavras foi uma prática predominante até o reino do imperador Guangzong (1190 a 1194). Portanto, a data de sua impressão pode ser determinada como anterior ao fim do período de Guangzong. A obra tem outras características típicas. Por exemplo, as explicações de significados e palavras importantes foram impressas em positivo (caracteres brancos sobre um fundo negro), e as áreas da coluna central da página, chamada ban xin, são estreitas. Estas características de impressão são idênticas àquelas do trabalho impresso em Jian'an, um dos três maiores centros de impressão durante a dinastia Song do Sul (1127 a 1279). O cânone confuciano impresso durante a dinastia Song do Sul em oficinas de impressão locais, especialmente em Jian'an, frequentemente tinha ilustrações anexadas, citações similares e explicações e anotações vindas de outras obras, como esta. Cópias como a que apresentamos aqui tinham valor considerável para pessoas que pretendiam prestar concursos públicos, já que ajudavam na memorização e compreensão dos textos. Esta cópia pertenceu originalmente à coleção de Yuan Kewen (1890 a 1931), um estudioso de literatura, calígrafo e pintor que foi o segundo filho de Yuan Shikai (1859 a 1916), o segundo presidente da República da China. Este livro contém uma inscrição manual de Yuan Kewen de 1916, em que ele afirma que esta é uma cópia de Jian'an. Mais tarde, ele descobriu que o livro originalmente pertencia à Tianyige, a mais antiga biblioteca privada da China, mas que havia sido roubado de lá e vendido.

Data de Criação

Informação da Publicação

Jian'an, Fujian, China

Idioma

Título no Idioma Original

禮記

Tipo de Item

Descrição Física

20 juan, 10 volumes, 16 x 11,6 centímetros

Observações

  • A Biblioteca Digital Mundial apenas exibe o prefácio e os juan de 1 a 6.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 24 de maio de 2017