A cidade de Deus

Descrição

Santo Agostinho de Hippo (354–430) é geralmente considerado um dos maiores pensadores cristãos de todos os tempos. Nasceu em Thagaste (atual Souq Ahras, Argélia) na África sob ocupação romana, filho de pai pagão e mãe cristã (Santa Mônica). Após estudar em Cartago e ensinar retórica em sua cidade natal, ele foi para Roma em 383 e para Milão em 384. Sob a influência de sua mãe e Ambrósio, bispo de Milão, ele se converteu ao cristianismo em 387. Foi ordenado padre em 391 e veio a se tornar bispo de Hippo (atual Annaba, Argélia). Escreveu mais de 100 obras, das quais suas Confessiones (Confissões) e De civitate dei (Cidade de Deus) são as mais conhecidas. Em De civitate dei, Agostinho busca refutar a declaração pagã de que o saque de Roma pelos visigodos em 410, um evento que abalou profundamente o mundo romano, foi causada pela ascensão do cristianismo. O problema fundamental enfrentado por Agostinho é a igreja espiritual em um mundo secular: a cidade de Deus na cidade deste mundo. Imensamente influente na Idade Média, De civitate dei continua a ser lido e estudado por teólogos e filósofos. Aqui é mostrada a impressão de Nicolas Jenson de 1475. Natural da França, Jenson foi um dos impressores mais importantes de Veneza no século XV. Entre 1470 e 1480, ele produziu aproximadamente 150 livros. A qualidade de seu trabalho influenciou bastante o renascimento da impressão de luxo na Grã-Bretanha no século XIX. Esta cópia é o volume mais antigo da Biblioteca John M. Kelly no Saint Michael's College, Universidade de Toronto.

Última Atualização: 7 de janeiro de 2014