A joia da coroa

Descrição

Este manuscrito de Durrat al-tāj (A joia da coroa) é um livro de orações xiitas, consistindo de orações a serem proferidas ao se visitar o túmulo do califa ʻAlī ibn Abī Ṭālib (entre 601 e 61). ʻAlī ibn Abī Ṭālib é uma das mais reverenciadas figuras religiosas e sagradas do Islã. Seu nome honorário, Amīr al-Mu'minīn, é traduzido do persa como o “príncipe dos crentes”. As obras escritas por ‘Alī ibn Abī Ṭālib e ditos a ele atribuídos são sagrados para os fiéis xiitas, sobretudo entre os falantes do persa. O manuscrito foi escrito provavelmente no Irã, possivelmente no século XVII. O papel é de estilo médio-oriental, espesso, de cor creme, polido, sem linhas pontilhadas ou avergoadas distintivas, e sem marca d'água. O texto está escrito em tinta preta na escrita naskhī, nove linhas em cada página, com decorações de ouro entre as linhas. As bordas da área escrita são revestidas com tinta preta, com profusa decoração fora da área escrita. O texto é rubricado. O título foi acrescentado à mão posteriormente. Não há colofão. A encadernação é referida como chahargusheh, significando uma encadernação de moldura feita em torno de um xale de Caxemira, datando da primeira metade do século XVIII (por volta de 1740).

Última Atualização: 5 de setembro de 2014