Versão poética do “Tratado de Birgili Mehmet”

Descrição

Este manuscrito em turco otomano, produzido por Birgili Mehmet Efendi (também visto como Birgivi Mehmed), transmite em dísticos rimados o significado do tratado sobre os fundamentos da crença islâmica. À primeira vista o tratado parece um catecismo simples que apenas acompanha Tariqat-i Muhammadiyah (O caminho de Maomé), obra mais longa de Birgili, mas na verdade a obra ajudou a fundamentar um movimento intelectual duradouro, manifestado hoje em dia no reformismo islâmico, geralmente denominado salafismo, e até mesmo em ideologias mais extremistas e violentas. Sendo o próprio Birgili um ex-sufi, ele passou a acreditar que os sufis haviam se afastado muito da devoção ao Alcorão e da prática do profeta Maomé. Alguns estudiosos consideram Birgili como um fanático em assuntos religiosos, enquanto outros apontam para a moderação em sua pregação e escrita quando comparadas a ativistas posteriores, como Qadizade Mehmet (falecido em 1635). A concentração de Birgili nos fundamentos de fato abriu caminho às posições endurecidas entre seus seguidores, o que influenciou a corte imperial e gerou tumultos até em locais distantes, como Cairo. Birgili nasceu em Balikesir, uma cidade no oeste de Anatólia, onde estudou o currículo padrão e se tornou um sufi. Seu talento como pregador foi reconhecido e ele acabou se mudando para a cidade de Birgi, onde passou a maior parte do final de sua vida. Já populares quando Birgili ainda era vivo, suas obras foram copiadas e amplamente distribuídas, estando entre os primeiros livros impressos no mundo muçulmano. A versão em verso que apresentamos aqui é de um escritor cujo nome não aparece. A escrita está em naskh clara com títulos rubricados, e em torno do texto há uma margem simples verde. A obra foi composta e copiada em 1642.

Data de Criação

Data do Assunto

Título no Idioma Original

هذا نظم رسالة بلكلي محمد افندي

Tipo de Item

Descrição Física

52 folhas: papel; 21 x 15 centímetros

Referências

  1. “Birgewi,” in The Encyclopaedia of Islam, second edition (Leiden: Brill, 1960).
  2. Michael Cook, Commanding Right and Forbidding Wrong in Islamic Thought (Cambridge: Cambridge University Press, 2010).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 29 de outubro de 2015