Uma explicação clara sobre a introdução de Averróis ao comentário da “Analytica Posterior” de Aristóteles

Descrição

Esta obra é um comentário sobre o prólogo de Ibn Rushd ao seu comentário à Analytica Posterior (Analíticos posteriores) de Aristóteles, escrito pelo filósofo e médico italiano Giovanni Bernardino Longo (1528 a 1599) e publicada em Nápoles em 1551. Muhammad ibn Ahmed ibn Rushd (1126 a 1198), conhecido no Ocidente pela versão latinizada de seu nome, Averróis, foi um farol intelectual para o mundo islâmico. Embora ele tenha escrito amplamente sobre ciências religiosas, ciências naturais, medicina e filosofia, sua reputação no Ocidente se baseia principalmente em seus comentários a Aristóteles. Ele pertenceu a uma importante família andaluza e serviu como ḍī (juiz) em Sevilha em 1169. Foi por volta deste período, em Sevilha, que ele iniciou o primeiro de seus muitos comentários sobre Aristóteles, talvez a pedido de seu patrono, o regente almóada Abū Ya‘qūb Yūsuf (reinou entre 1163 e 1184), que havia reclamado da obscuridade dos textos aristotélicos. Poucos dos escritos originais de Ibn Rushd, em árabe, sobreviveram. O fato de que muitas de suas obras sobreviveram, no entanto, em traduções para o grego ou para o latim, testemunha em favor da importância de Ibn Rushd para o desenvolvimento da filosofia ocidental durante a Idade Média. Os comentários de Ibn Rushd sobre Aristóteles incluem versões curtas, de tamanho médio e longas. Ele completou as versões curtas e de tamanho médio de seus comentários entre os anos de 1169 e 1178, antes de se voltar aos comentários longos, que são normalmente considerados o melhor de seu trabalho.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Matteo Cancer, Nápoles

Idioma

Título no Idioma Original

Dilucida expositio in Prologum Aver. in Post. Aristotelis

Lugar

Tipo de Item

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 17 de junho de 2014