Os quatro livros sobre a medicina de Octavius Horatianus e os três livros de Abū Al-Qāsim, distinto entre todos os cirurgiões

Descrição

Este volume impresso no estabelecimento Argentorati, em Estrasburgo (atualmente na França), em fevereiro de 1532, inclui duas obras, a primeira é a tradução latina de Theodorus Priscianus (prosperou aproximadamente em 400) e de seu próprio compêndio terapêutico, o Euporista (Remédios facilmente obtidos), originalmente escrito em grego. A segunda obra é uma tradução latina de uma seção do conhecido trabalho médico árabe de Abu al-Qasim Khalaf ibn al-Abbas al-Zahrawi (também conhecido por seu nome latinizado, Albucasis, entre 936 e 1013, aproximadamente), Al-Taṣrīf li man ‘ajiza al-ta’līf (A obtenção de [conhecimento médico] para aqueles que não são capazes de compilar [um manual próprio]). Não se sabe muito sobre nenhum dos dois autores. Theodorus Prisicanus foi um médico norte-africano que estudou com Vindicianus. A versão grega de seu compêndio está perdida. Já que o Euporista estava originalmente organizado em três seções, presume-se que a quarta seção da tradução latina esteja relacionada ao conteúdo do De Physicis, , o outro único trabalho restante (embora incompleto) de Theodorus. A edição de 1532 foi publicada sob o nome de Octavius Horatianus. O nome de Al-Zahrawī indica que ele nasceu em Madinat al-Zahrā, próxima a Córdoba, em al-Andalus (Andaluzia, ou seja, atualmente na Espanha). De acordo com as fontes mais remotas, ele morreu em al-Andalus depois de 1009. Os biógrafos posteriores afirmam que al-Zahrawī trabalhou nas cortes andaluzes de ‘Abd al-Raḥman III (reinou entre 912 e 61), al-Ḥakam II al-Mustanṣir (reinou entre 961 e 76) ou al-Manṣūr bi llāh (regente de fato de al-Andalus entre 978 e 1002). O único trabalho ainda existente de al-Zahrawī’s é a enorme al-Taṣrīf li man ‘ajiza al-ta’līf, uma obra escrita em 30 capítulos, com o primeiro (sobre princípios gerais), o segundo (sobre sintomas e tratamento das doenças) e o trigésimo (sobre cirurgia) constituindo a quase totalidade da obra. Al-Taṣrīf desfrutou de fama considerável no mundo islâmico e na Europa. O primeiro e segundo capítulos foram traduzidos para o hebraico em meados do século XIII e, subsequentemente, para o latim, sendo publicados em Augsburgo em 1519 sob o título Liber theoricae nec non practicae Alsaharavii. O vigésimo oitavo capítulo, sobre “o aperfeiçoamento dos medicamentos, a queima de pedras minerais e os usos médicos delas”, foi traduzido para o hebraico e em seguida para o latim no final do século XIII, sob o título Liber Servitoris, tendo sido impresso pela primeira vez em Veneza, por Nicolaus Jenson, em 1471. O texto apresentado aqui, do trigésimo capítulo, sobre a cirurgia, é o primeiro tratamento abrangente e ilustrado deste tema. O longo capítulo está dividido em três seções ou livros: um sobre a cauterização; um sobre a flebotomia, dissecação, cortes e extração de flechas; e um sobre deslocamentos e ajuste de ossos. Ele foi traduzido para o latim em Toledo, por Gherardo de Cremona, sob o título Liber Alsaharavi de cirurgia, e impresso pela primeira vez em Veneza em 1497, com novas edições em 1499, 1500, 1520 e 1540.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Johann Schott, Estrasburgo

Idioma

Título no Idioma Original

Octauii Horatiani rerum medicarum lib. quatuor ... :Albucasis chirurgicorum omnium primarij, lib. tres

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

327 páginas: ilustrações, 32 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 17 de junho de 2014