O método da medicina

Descrição

Este livro é um compêndio de obras médicas, impresso na Basileia em 1541 pelo estabelecimento de Heinrich Petri (1508 a 1579), também conhecido pelo nome latinizado Henricus Petrus. Ele inclui uma tradução para o latim do trigésimo capítulo do célebre al-Taṣrīf li man ‘ajiza al-ta’līf (A organização do [conhecimento médico] para aqueles que não estão aptos a compilar [um manual por conta própria]) pelo importante médico andaluz Abū al-Qāsim ibn al-‘Abbās al-Zahrawī. O livro também contém uma obra de quatro páginas sobre o tratamento de feridas e lesões, de Rolandus Parmensis (prosperou no início do século XIII); uma obra sobre cirurgia do professor de Rolandus, o célebre Ruggero Frugardo (entre 1140 e 1195, aproximadamente); três curtas obras de Constantinus Africanus (entre 1020 e 1087, aproximadamente), De humana natura, De elephantia e De animalibus; e De purgationibus, do médico de Pádua, Antonius Gazius (1449 a 1528). Pouco é sabido sobre a vida de al-Zahrawī, cujo nome indica que ele nasceu em Madinat al-Zahrā, perto de Córdoba. De acordo com as primeiras fontes, ele morreu em al-Andalus após 1009. Biógrafos posteriores dizem que al-Zahrawī trabalhou nas cortes andaluzes de ʻAbd al-Raḥmān III, Califa de Córdoba (reinou entre 912 e 961); Hakam II, Califa da Espanha (reinou entre 961 e 976); ou Manṣūr ibn Abī ʻĀmir, regente de facto de al-Andalus entre 978 e 1002. A única obra ainda existente de al-Zahrawī é o enorme al-Taṣrīf, escrito em 30 capítulos. Os capítulos um (sobre os princípios gerais), dois (sobre os sintomas e tratamentos das doenças) e 30 (sobre a cirurgia) constituem quase metade da obra. Al-Zahrawī se fiou em fontes antigas (Paulo de Égina, Ibn Māsawayh, Sābūr ibn Sahl, Isḥāq ibn ‘Imrān, Qustā ibn Lūqā, al-Rāzī, Ibn al-Jazzār e outros), mas também se baseou em sua própria experiência como médico praticante. Al-Taṣrīf desfrutou de fama considerável no mundo islâmico e na Europa. O primeiro e segundo capítulos foram traduzidos para o hebraico em meados do século XIII e, subsequentemente, para o latim, sendo publicados em Augsburgo em 1519 sob o título Liber theoricae nec non practicae Alsaharavii. O vigésimo oitavo capítulo, sobre “o aperfeiçoamento dos medicamentos, a queima de pedras minerais e os usos médicos destas”, foi traduzido para o hebraico e então para o latim no final do século XIII, sob o título Liber Servitoris, sendo impresso pela primeira vez em 1471, por Nicolas Jenson. O capítulo sobre a cirurgia contido no texto foi o primeiro tratamento abrangente e ilustrado do assunto. O propósito expresso do autor era reviver a arte da cirurgia, conforme ensinada pelos “antigos”, os cirurgiões da tradição helenística. Este capítulo foi traduzido para o latim em Toledo, por Gherardo de Cremona, sob o título Liber Alsaharavi de cirurgia. Ele foi impresso pela primeira vez em Veneza, em 1497; edições posteriores surgiram em 1499, 1500, 1520, 1532 e 1540.

Última Atualização: 17 de junho de 2014