O compêndio de graças e fonte de encantos

Descrição

Este manuscrito do século XVII contém o texto do Majmoo’a al-Latā’if wa-Yanbu‘ al-Zarā’if (O compêndio de graças e fonte de encantos), uma coleção de orações esotéricas e místicas. A obra é dividida em diversos capítulos, não numerados e normalmente contendo apenas algumas páginas, com rubricas indicando o início de cada capítulo. A obra discute a conveniência espiritual de se rezar de uma determinada maneira, em um determinado mês islâmico, dia da semana ou ocasião religiosa, citando ditos do profeta Maomé e outras tradições islâmicas como argumentos de apoio. O manuscrito começa com um capítulo sobre a criação da luz do profeta Maomé. A este seguem-se 12 capítulos, cada um dedicado a um mês do ano, seguidos por mais sete capítulos para os dias da semana. Mais capítulos discutem as "virtudes das cinco orações" e uma "oração abençoada para ser recitada pela manhã e à noite". O manuscrito conclui com poemas em louvor a Maomé. O autor desta obra não é definitivamente conhecido, porém o assunto, estilo e semelhança com outras obras conhecidas sugerem que foi Aḥmad ibn ‘Alī ibn Yūsuf al- Būnī (falecido em 1225), um conhecido teólogo místico e escritor prolífico. Uma anotação no início do manuscrito declara que “Bayazid Al-Bastami é Tayfur ibn ‘Isa”, referindo-se a um conhecido sufi persa do século XIX, que outras fontes identificam como uma das influências espirituais de al- Būnī. Teólogo controverso considerado um feiticeiro por seus opositores, al- Būnī nasceu em Buna (anteriormente Bône, na atual Annaba, Argélia) e provavelmente morreu na Tunísia. Ele é mais famoso por sua obra principal Shams al-Ma‘ārif al-Kubra (O grande sol da gnose), um importante texto de ocultismo islâmico.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

مجموع اللطائف وينبع الظرائف

Tipo de Item

Descrição Física

170 folhas; 200 x 145 milímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 3 de maio de 2013