História da composição do corpo humano

Descrição

Juan Valverde era um anatomista médico espanhol nascido em Amusco, na atual província de Palência, por volta de 1525. Ele se mudou para a Itália por volta de 1542, e depois praticou a medicina e ensinou em Roma. Ele foi o grande seguidor espanhol da nova anatomia estabelecida por Andreas Vesalius em 1543 com sua obra De humani corporis fabrica (Da Organização do Corpo Humano). Vesalius foi responsável por uma nova visão do corpo humano no mundo moderno. Valverde ajudou a disseminar esta visão pelas 16 edições em quatro idiomas (castelhano, latim, italiano e grego) de sua própria obra, Historia de la composición del cuerpo humano (História da composição do corpo humano). O texto é profusamente ilustrado com 42 gravuras de cobre, que seguem a prática dos livros de anatomia da época, buscando o didatismo por meio do ensino prático e visualização. Muitas dessas gravuras são reproduções de ilustrações feitas por Vesalius; outras, com avanços científicos importantes, são originais atribuídos a Gaspar Becerra, que foi claramente influenciado por Michelangelo. Acredita-se que outro gravador que contribuiu com o volume foi Nicolas Beatrizet (1507–1570, aproximadamente), e as iniciais N.B. aparecem em várias placas. As grandes realizações de Valverde foram as correções que fez aos clássicos e até mesmo a Vesalius e suas descobertas relacionadas a músculos, órgãos e principalmente os olhos. A obra possui importância científica e linguística. O livro marcou uma etapa importante do uso do castelhano como um idioma científico, já que aumentou o léxico sobre anatomia em castelhano que teve início com Bernardino Montaña e seu Libro de la anatomía del hombre (Livro da anatomia do homem) de 1551. Valverde é considerado o anatomista espanhol mais importante do Renascimento.

Última Atualização: 12 de fevereiro de 2016