História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro VII: O sol, a lua e as estrelas e a ligação dos anos

Descrição

Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro VII é sobre o sol, a lua e as estrelas. Contém um relato sobre a criação do sol e da lua, que os astecas chamavam de "quinta idade do mundo", e que Sahagún extraiu de poemas e lendas antigas compartilhadas com ele pelos mais velhos. A ilustração no fólio 228 (verso) retrata o coelho na lua. Os antigos mesoamericanos acreditavam que o desenho de um coelho podia ser visto na lua cheia, um efeito visual que resulta da combinação de pontos escuros provocados pela alteração de elevações e crateras na superfície da lua, mas que eles explicavam mitologicamente. No relato asteca, antes da criação do dia, os deuses se encontraram em Teotihuacán para criar o sol para iluminar o mundo. Para que isso acontecesse, alguém tinha que se sacrificar. O deus Tezcuciztecatl (também visto como Tecciztecatl) se ofereceu, mas eles também precisavam de um outro deus. Todos os outros estavam com medo e ninguém mais se ofereceu, então eles se voltaram para Nanahuatzin, que estava coberto de pústulas, e ele elegantemente aceitou. Ambos os deuses se prepararam para o sacrifício fazendo penitência durante quatro dias. Tezcuciztecatl realizou o autossacrifício usando penas, ouro e fragmentos afiados de pedras preciosas e coral, enquanto Nanahuatzin usou materiais modestos e ofereceu seu sangue e pus. Uma grande fogueira foi acesa e todos os deuses se reuniram ao redor dela à meia-noite, mas quando chegou o momento de Tezcuciztecatl se atirar no fogo para ser transformado no sol, ele hesitou. Nanahuatzin, por sua vez, corajosamente se atirou ao fogo e começou a brilhar. Somente então Tezcuciztecatl, que ficou com inveja, fez o mesmo para ser transformado em um segundo sol. Os deuses não contavam com a existência de duas luzes de igual brilho no céu, então um deles pegou um coelho e o arremessou no segundo sol para diminuir seu brilho, transformando-o assim na lua, com o formato de um coelho visível em sua face.

Data de Criação

Data do Assunto

Título no Idioma Original

Libro septimo, que trata de la astrologia, y philosophia natural: que alcançaron, estos naturales, de esta nueua españa

Tipo de Item

Descrição Física

Encadernado como parte do volume 2. Tinta sobre papel; 310 x 212 milímetros

Coleção

Referências

  1. Biblioteca Medicea Laurenziana, The World of the Aztecs in the Florentine Codex, (Mandragora: 2007).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 6 de setembro de 2017