Al-Iraq, Nº 70, 21 de agosto de 1920

Descrição

O Al-Iraq era um jornal diário que se concentrava em política, literatura e economia, publicado pela primeira vez em Bagdá em 1º de junho de 1920. De propriedade de Razzuq Dawood Ghannam, o jornal apresentava uma linha editorial independente desde suas primeiras edições. Em toda a sua existência, ele registrou a história política, social e econômica do Iraque e foi considerado a primeira e última fonte de notícias sobre problemas e causas nacionais. O jornal não representava a crescente elite nacionalista e anticolonial, mas era pan-iraquianista em orientação e contava em sua equipe com vários escritores jovens, nacionalistas e liberais, para quem o jornal era a única plataforma onde eles podiam se expressar. Alguns dos primeiros escritores do jornal foram Shukri al-Fadhli, Hassan Ghussaiba, Ata Amin, Rafael Butti e Muhammad Abd al-Hussein. Por causa da escassez dos meios de impressão modernos na época, o jornal era publicado em quatro páginas pequenas, com suplementos diversas vezes. Seus editoriais eram simples e suas reportagens de notícias mundiais eram em grande parte reimpressões da agência de notícias Reuters, mas ele também publicava notícias nacionais. Segundo alguns historiadores, o Al-Iraq começou como um instrumento dos britânicos e foi, de fato, um substituto colonial do Al-Arab, que era editado pelas autoridades britânicas em Bagdá entre 1917 e 1920, aproximadamente. O jornal era impresso na mesma editora que o Al-Arab e o Al-Arab anunciou em sua última edição que a "primeira edição do jornal Al-Iraq seria publicada no outro dia” e que “a política editorial do Al-Iraq seria uma extensão do Al-Arab".

Última Atualização: 4 de janeiro de 2016