Comentários de Domizio Calderini sobre os trabalhos de Juvenal, Estácio, Ovídio e Propércio

Descrição

Sob a influência do humanismo italiano e de seu tutor e colecionador de livros János Vitéz, o arcebispo de Esztergon, Matias Corvino da Hungria (1443-1490) desenvolveu uma paixão por livros e pela aprendizagem. Eleito rei da Hungria em 1458, aos 14 anos de idade, Matias conquistou grande sucesso por suas batalhas contra os turcos otomanos e por seu patrocínio à aprendizagem e à ciência. Ele criou a Bibliotheca Corviniana, na época considerada uma das melhores bibliotecas da Europa. Após sua morte, e especialmente após a conquista de Buda pelos turcos, em 1541, a biblioteca foi dispersa e grande parte da coleção foi destruída, com os volumes sobreviventes sendo espalhados por toda a Europa. Esse códice, originalmente na Biblioteca de Corvino, e agora preservado na Biblioteca Medicea Laurenziana em Florença, data do final da década de 1480. Contém trabalhos escritos em meados da década de 1470 por Domizio Calderini (1447–78), um cortesão, estudioso, humanista e controverso crítico literário, nascido na província de Verona e falecido em Roma. Estão aqui incluídos seus comentários sobre Sátiras de Juvenal, Silvas de Públio Papínio Estácio, Carta de Safo de Ovídio e trabalhos do elegíaco poeta Sexto Propércio. A Coleção da Bibliotheca Corviniana foi inscrita no programa Memória do Mundo, da UNESCO, em 2005.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Commentarii in satiras Iuvenalis; In silvas Statii; In Sappho Ovidii; In Propertii loca interpretatio; Ex libro observationum

Tipo de Item

Descrição Física

240 folhas: pergaminho; 348 x 230 milímetros

Referências

  1. Biblioteca Medicea Laurenziana, The World of the Aztecs in the Florentine Codex, (Mandragora: 2007).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de agosto de 2017